Tecnologias Vendas da IBM caem há 20 trimestres consecutivos

Vendas da IBM caem há 20 trimestres consecutivos

A International Business Machines (IBM) reportou uma queda das receitas maior do que se esperava, devido à fraca procura na unidade de serviços ligados às tecnologias de informação.
Vendas da IBM caem há 20 trimestres consecutivos
REUTERS
Carla Pedro 19 de abril de 2017 às 01:19

A IBM anunciou esta terça-feira, 19 de Abril, após o fecho das bolsas norte-americanas, uma queda do seu volume de negócios – o que acontece há 20 trimestres. Além disso, foi a primeira vez em cinco trimestres que reportou receitas abaixo das expectativas dos analistas.

 

Assim, a facturação da IBM no seu primeiro trimestre fiscal, terminado a 31 de Março, caiu 2,8% face ao trimestre homólogo de 2016, para 18,2 mil milhões de dólares. Os analistas apontavam para um volume de negócios de 18,4 mil milhões de dólares em média. No trimestre anterior, as vendas tinham já caído 1,3%.

 

A justificar este resultado, segundo a empresa, está sobretudo a fraca procura por serviços ligados às tecnologias de informação. E isto significa, conforme sublinham a Bloomberg e a Reuters, que a empresa poderá demorar mais tempo do que se previa a dar a volta à situação.

 

Já os lucros, que incluem itens extraordinários, foram de 1,75 mil milhões de dólares, representando uma descida de 13% face ao período de Janeiro a Março do ano passado.

 

Sem itens extraordinários (o chamado resultado não-GAAP), o lucro por acção (operacional) foi de 2,38 dólares, superando assim a projecção média dos analistas, que apontava para 2,35 dólares.  

 

O crescimento nas novas áreas de actividade da empresa liderada por Ginni Rometty, como os serviços na nuvem e a inteligência artificial, não conseguiu compensar a queda nas vendas das unidades tradicionais de hardware e software.

 

Os investidores estão a penalizar as acções da IBM por este resultado. Na negociação fora de horas, a norte-americana segue a cair 4,7% para 162 dólares.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub