Tecnologias Wall Street Journal: Lisboa é uma das cidades europeias mais populares para instalar centros tecnológicos

Wall Street Journal: Lisboa é uma das cidades europeias mais populares para instalar centros tecnológicos

A capital portuguesa surge num artigo do jornal norte-americano sobre novos centros tecnológicos que estão a nascer na Europa. A subida do capital de risco investido em firmas europeias ajudará a explicar porque é que Lisboa, bem como Edimburgo e Cracóvia, se tornaram apetecíveis para a instalação de centros tecnológicos.
Wall Street Journal: Lisboa é uma das cidades europeias mais populares para instalar centros tecnológicos
Ana Laranjeiro 07 de março de 2018 às 13:31

Há uma conjugação de motivos que fazem com que cidades europeias sejam cada vez mais atraentes para que tecnológicas instalem aí os seus centros tecnológicos. Lisboa é uma delas. Segundo um artigo desta semana do Wall Street Journal, várias cidades europeias estão a beneficiar da disponibilidade que existe no mercado de capital de risco.

No ano passado, e de acordo com dados da Preqin, citados pelo jornal, foram investidos 15,4 mil milhões de dólares – oriundo de capital de risco – em empresas sedeadas na Europa. Um valor que contrasta fortemente com os 7,6 mil milhões de dólares alocados em 2014.

Além disso, os governos locais têm desenvolvido medidas para que as suas indústrias tecnológicas cresçam. Entre essas medidas estão, por exemplo, o lançamento de incubadoras de start-ups e a atracção de eventos internacionais, refere o jornal.

Entre as cidades citadas no artigo está Lisboa. "Edifícios históricos no centro de Lisboa, por exemplo, têm sido convertidos em incubadoras e espaços de co-working", pode ler-se no artigo do jornal norte-americano.

Em Portugal há mais de 100 incubadoras de start-ups registadas na Rede Nacional de Incubadoras, um organismo criado pelo actual executivo no âmbito do Startup Portugal – actualmente uma organização que nasceu para apoiar a implementação de um conjunto de medidas apresentadas pelo Governo como a Estratégia Nacional para o Empreendedorismo.

No âmbito do Startup Portugal foram desenvolvidas outras iniciativas, que vão desde benefícios fiscais, ao apoio aos empreendedores.

Tem sido várias as empresas que têm anunciado que vão estabelecer os seus centros em Portugal. A Google e a Amazon são dois dos exemplos mais recentes e que mais notabilidade granjearam.

"Para ser claro, continua a ser importante para as start-ups estarem ligadas aos hubs tecnológicos tradicionais como Berlim e Londres, para os grandes clientes e financiamento. Mas algumas firmas estão a sair destas cidades porque é mais fácil concorrer pelo talento contra as grandes empresas tecnológicas", pode ler-se ainda no artigo do Wall Street Journal.

Barcelona é citada como uma das cidades que acolhe dezenas de start-ups e empresas de comércio electrónico. Cracóvia na Polónia e Edimburgo na Escócia são também duas outras cidades citadas.

"Algumas das grandes tecnológicas vão para cidades que ainda não estão no mapa tecnológico. A EPAM, uma empresa americana de desenvolvimento de software, planeia abrir este ano um escritório em Málaga, a sexta maior cidade espanhola. O líder da empresa considera que a cidade espanhola é "a San Diego da Europa" e espera captar talento de toda a Europa, refere ainda o artigo.