Redes Sociais Despesa do Facebook com segurança de Zuckerberg aumenta 50% em 2017

Despesa do Facebook com segurança de Zuckerberg aumenta 50% em 2017

No ano passado o Facebook gastou 7,3 milhões de dólares na segurança de Mark Zuckerberg, mais 50% do que no ano anterior.
Despesa do Facebook com segurança de Zuckerberg aumenta 50% em 2017
Pedro Curvelo 16 de abril de 2018 às 11:57

De acordo com um documento enviado à SEC, regulador dos mercados nos EUA, a empresa gastou 7.326.640 dólares (5,94 milhões de euros) na segurança do seu fundador e CEO. Este valor traduz uma subida de 49,8%, ou 2,4 milhões de dólares, face ao montante gasto em 2016.

Também as despesas com o uso de jactos privados por parte de Zuckerberg aumentaram significativamente, passando de 871.390 dólares em 2016 para 1.524.975 dólares no ano passado, uma subida de 75%.

Os gastos em segurança com Sheryl Sandberg, directora operacional (COO) da empresa, cifraram-se no ano passado em 2.687.643 dólares, apenas mais 3% do que em 2016.

A Apple, por exemplo, gastou apenas 224 mil dólares na segurança do seu CEO, Tim Cook, em 2017.

Zuckerberg auferiu em 2017, tal como em 2016, de um salário simbólico de apenas um dólar. Já Sheryl Sandberg ganhou um salário de 805 mil dólares, mais 60 mil dólares do que em 2016.

"Estas medidas são explicáveis pela importância de Mark Zuckerberg para o Facebook e acreditamos que as despesas associadas a este programa de segurança são necessárias e apropriadas", refere a empresa.

O forte reforço das medidas de segurança em torno de Zuckerberg está relacionado com as ameaças de que foi alvo por parte do autoproclamado Estado Islâmico num vídeo publicado em Fevereiro de 2016. O grupo terrorista viu milhares de contas que geria serem apagadas da maior rede social do mundo.

Zuckerberg tem estado debaixo de fogo nos últimos tempos devido ao escândalo de acesso indevido aos dados dos utilizadores do Facebook por parte da consultora Cambridge Analytica.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
Saber mais e Alertas
pub