Telecomunicações Administrador da PT Portugal reitera que não haverá cortes salariais

Administrador da PT Portugal reitera que não haverá cortes salariais

João Zúquete, administrador da PT Portugal, garantiu aos sindicatos que não haverá cortes nos salários dos trabalhadores da dona do Meo. No seguimento da reorganização que está a ser feita, o administrador adiantou ainda que haverá cortes da prestação em outsourcing no apoio técnico, sendo substituída por quadros da PT.
Administrador da PT Portugal reitera que não haverá cortes salariais
Miguel Baltazar/Negócios
Sara Ribeiro 24 de setembro de 2015 às 15:56

A PT Portugal reiterou que vai manter os salários dos trabalhadores, pelo menos até voltarem a renegociar o novo acordo de empresa, um processo natural numa empresa, explicou Jorge Felix, presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Portugal Telecom (STPT). 

 

A garantia da manutenção salarial foi dada por João Zúquete, administrador da PT Portugal, com o pelouro dos recursos humanos, durante uma reunião que decorreu na quarta-feira e reuniu os vários sindicatos que representam os trabalhadores da dona do Meo.

 

Esta afirmação relativa aos níveis salariais praticados na PT Portugal deveu-se essencialmente à declaração de Patrick Drahi, fundador da Altice, no seguimento da compra da norte-americana Cablevision, onde afirmou "eu não gosto de pagar salários. Pago o mínimo que puder".

Tal como Jorge Felix já tinha explicado, no seguimento das declarações do dono da Altice, "há compromissos assumidos pela Altice perante o nosso sindicato e estão escritos, em que a mesma  afirma que irá respeitar os princípios contratuais em vigor, nomeadamente os valores salariais, e que tudo fariam para manter a estabilidade laboral e o respeito pelos trabalhadores e a negociação com os sindicatos".

 

Quanto à renegociação do novo acordo, onde é natural haver novos acordos relacionados com questões salariais, como por exemplo complementos salariais, segundo Jorge Felix ainda não há nenhuma data concreta para o início das negociações.

 

O encontro com os sindicatos teve como objectivo apresentar a reorganização da microestrutura das empresas da PT Portugal.

"Relevante para o STPT foi a afirmação de João Zúquete, de que estas alterações não porão em causa a estabilidade do emprego nem dos salários dos trabalhadores", sublinha o presidente do sindicato.

 

Porém, segundo o STPT a mensagem da reorganização da microestrutura não foi totalmente clara: "Falar da explicação dada e das alterações introduzidas não é fácil porque a apresentação foi extremamente técnica (dezenas e dezenas de imagens dos organigramas) que criam grande complexidade informativa sem exemplares distribuídos aos sindicatos, que mereceram o reparo do STPT porque não permitem uma clara e objectiva explicação aos nossos associados das transformações que irão ser feitas".

 

Durante o encontro, João Zuquete adiantou ainda que a aprestação do apoio técnico da Meo também irá sofrer alterações ao nível da prestação através do outsourcing. Passará a ser feita por quadros da PT.

"A laboração técnica junto do cliente terá cada vez mais de ser feita pelos técnicos da empresa, com redução/eliminação proveniente do outsorsing melhorando a qualidade e a imagem da PT Portugal e que levará a alguma movimentação geográfica e funcional de trabalhadores para o terreno nomeadamente das actuais salas de distribuição", segundo Jorge Felix.

 

A reorganização da empresa, que também passou pela redução do número de directores, passará ainda por outra fase relacionado com "a quantidade e necessidade das várias empresas que integram a PT Portugal", tendo sido "adiantado pelo administrador a continuidade das empresas estratégicas principalmente na área tecnológica, MEO, Inovação, Cloud, etc".




A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 4 semanas

Sim até às eleições ... depois é o regabofe ...

Anónimo Há 4 semanas

Sr Felix é um tagarela e representa pre-reformados. Vamos ver o que diz quando pedirem aosmpre-reformados para substituir outsourcing! Onde para a Comissao de Trabalhadores? Nada fizeram quando o AD Francisco Nunes apresentou proposta para mandar 5000 para a rua.

Anónimo Há 4 semanas

Os sindicatos tentam fazer alguma coisa apesar de serem enganados com jargao deste tipo como se fosse facil substituir o outsourcing por gente da PT e nao entendem que os salarios bases nao podem baixar mas tiram todas as outras regalias!

DJ Há 4 semanas

Este camarada anónimo que vêm aqui falar do bom trabalho d sindicato? Isto é campanha politica?! Meu caro, não é um sindicato mas vários... E trabalho é coisa q já não fazem á muitos anos.

ver mais comentários
pub