Telecomunicações Armando Pereira: Foi um ano repleto de desafios que temos vindo a superar

Armando Pereira: Foi um ano repleto de desafios que temos vindo a superar

Numa carta enviada aos trabalhadores, o co-fundador da Altice faz o balanço dos 12 meses da gestão da empresa desde que comprou a Meo.
Armando Pereira: Foi um ano repleto de desafios que temos vindo a superar
Sara Ribeiro 02 de junho de 2016 às 18:16

Há um ano a Altice passava um ‘cheque’ de 5,6 mil milhões de euros à Oi pela PT Portugal. Logo no dia a seguir, o grupo começou a desenhar o futuro modelo que queria implementar na Meo que passou a ser presidida por Armando Pereira, co-fundador do grupo de Patrick Drahi.

A reorganização da estrutura da operadora, reduzindo o número de directores de 76 para 42 através da integração de várias áreas foi um dos primeiros passos da Altice. Pouco tempo depois, começou a renegociar os contratos com alguns fornecedores e, passados alguns meses, anunciou o investimento na expansão da rede de fibra óptica a mais 3 milhões de casas.

Para Armando Pereira "foi um ano repleto de desafios que temos vindo, em conjunto, a superar", segundo uma carta enviada aos trabalhadores esta quinta-feira, 2 de Junho, a que o Negócios teve acesso.

O "chairman" da PT Portugal sublinha que foram "desafios ao nível do mercado português e ao nível do mercado internacional da Altice. E quando digo em conjunto refiro-me ao desempenho da PT e dos seus colaboradores em Portugal, mas também ao contributo que a PT e os seus colaboradores têm dado para superar os desafios da Altice, nomeadamente o de ser um operador internacional de referência nas áreas das telecomunicações, media e conteúdos".

"No dia em que faz um ano que a Altice adquiriu a PT, quero dizer-vos que o orgulho, a satisfação e o entusiasmo que então senti cresceram consideravelmente ao longo do último ano", refere o accionista do grupo francês.

Armando Pereira realça ainda que através da PT, Portugal fornece tecnologia "de vanguarda e inovação para todo o grupo Altice, bem como competências de gestão ímpares".

E "como empreendedor, como accionista de um grande grupo empresarial e como português, quero expressar a todos a confiança que tenho na missão da PT no desenvolvimento da economia portuguesa".

Na carta enviada aos trabalhadores o presidente da operadora relembra que o grupo aumentou "de modo muito expressivo, o nível de investimento na rede de telecomunicações".

Segundo Armando Pereira,  no último têm "vindo a reforçar, a multiplicar e a colocar a PT ao serviço do mundo. Em Portugal, o nosso compromisso é estar ao serviço dos Portugueses para lhes oferecer sempre o melhor".

"Obrigado a todas as equipas da Portugal Telecom por, diariamente, fazerem da PT a empresa de referência dos empreendedores, das empresas portuguesas, da economia portuguesa. A empresa de referência dos Portugueses", lê-se na mesma carta.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub