Telecomunicações Assembleia-geral da Oi adiada para 17 de Setembro

Assembleia-geral da Oi adiada para 17 de Setembro

A operadora decidiu adiar a assembleia-geral extraordinária para os accionistas terem mais tempo para analisar os pontos da agenda. A reunião tem como objectivo adaptar os estatutos ao novo aumento de capital.
Assembleia-geral da Oi adiada para 17 de Setembro
Reuters
Sara Ribeiro 16 de agosto de 2018 às 14:54

A Oi, que tem a Pharol como maior accionista, decidiu adiar a assembleia-geral extraordinária que estava agendada para 3 de Setembro. Em comunicado enviado ao regulador brasileiro do mercado esta quinta-feira, 16 de Agosto, a operadora informa que a reunião será agora realizada no dia 17 de Setembro.

Este adiamento tem como objectivo "garantir aos accionistas tempo suficiente para tomarem uma decisão informada sobre as matérias colocadas à sua deliberação", justifica a operadora. A assembleia tem como missão adaptar os estatutos da empresa ao aumento de capital decorrente da conversão de créditos, no âmbito do processo de recuperação judicial aprovado pelos accionistas e pela justiça brasileira.

Em virtude da nova data, os accionistas "deverão enviar as suas instruções de voto para a Assembleia novamente, sendo desconsideradas as instruções de voto eventualmente já recebidas", alerta a Oi.

A reunião tem como principal objectivo alterar os estatutos de modo a prever o novo capital social, bem como aprovar a proposta de alteração do limite do capital autorizado da companhia.

Outro dos pontos da ordem de trabalhos é a inclusão de novo artigo "com vista à adaptação do Estatuto Social às disposições do Plano de Recuperação Judicial da Companhia com relação à composição do novo conselho de administração". Também a nível de governação, a empresa pretende alterar os estatutos para extinguir os cargos de suplentes do conselho de administração, e ajustar regras para a eleição do presidente e vice-presidente da administração.




pub