Telecomunicações Banda larga móvel atinge recorde de utilizadores

Banda larga móvel atinge recorde de utilizadores

O número de utilizadores de banda larga móvel atingiu os 6,8 milhões no final de Junho. Quatro em cada cinco utilizadores de internet através do telemóvel envia mensagens através do WhatsApp e do Messenger.
Banda larga móvel atinge recorde de utilizadores
Bloomberg
Sara Ribeiro 13 de setembro de 2017 às 16:14

No final de Junho havia 6,8 milhões de utilizadores de banda larga móvel em Portugal, um número que representa um máximo histórico, de acordo com os dados divulgados esta quarta-feira, 13 de Setembro, pela Anacom. Comparando com o segundo trimestre de 2016, representa um crescimento de 3,5%.

O crescimento de serviços de banda larga móvel é explicado pelo aumento dos utilizadores de internet móvel – 20,5% face ao mesmo período do ano passado - "e à crescente penetração dos smartphones– que atingiu 72,7% no final de Junho, segundo o Barómetro de Telecomunicações da Marktest", explica o regulador.

O número de dispositivos móveis com acesso a banda larga móvel atingiu 17,1 milhões no final de Junho. Destes, 13 milhões foram efectivamente utilizados durante o segundo trimestre do ano. "Excluindo tablet/PC e as estações móveis associadas a comunicações Machine-to-Machine (M2M), o número de equipamentos de utilizador activos e com utilização efectiva foi de 11,6 milhões", detalha a entidade agora liderada por João Cadete de Matos.

No que toca às modalidades de acesso ao serviço, os tarifários pré-pagos continuam a liderar representando 47,5% do total. Os assinantes pós-pagos representavam 26,6% e os planos combinados 25,8%.

A Meo continua a ser a operadora com mais estações móveis activas com utilização efectiva (43,9%), seguindo-se a Vodafone com 30,5% e a Nos com 23,6%. A operadora liderada por Miguel Almeida foi a única a aumentar a quota de mercado no período em análise.

O volume de negócios deste segmento rondou os 657 milhões de euros durante o trimestre em análise, uma queda de 3,1% face ao período homólogo de 2016. A receita média mensal por assinante foi de 9,7 euros.

Mais chamadas, menos SMS

Durante o segundo trimestre, os portugueses passaram também mais tempo a falar ao telemóvel, com os minutos de conversação a aumentarem 1,9%.

O crescimento deve-se às ofertas de pacotes de serviços que incluem o serviço móvel com chamadas incluídas e sem diferenciação tarifária entre chamadas realizadas através da internet ou pela rede móvel. O tráfego de chamadas através da internet registou um decréscimo em termos homólogos de 3,4%.

Ao contrário das chamadas telefónicas, os portugueses enviaram menos mensagens escritas (-9,9%), "facto que se deve ao aparecimento de formas de comunicação alternativas".

Aliás, de acordo com os mesmos dados, cerca quatro em cada cinco utilizadores do serviço de acesso à internet através do telemóvel envia mensagens instantâneas através de serviços como o WhatsApp ou o Messenger.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub