Telecomunicações É "falso e infundado" que a Altice queira vender negócio em Portugal

É "falso e infundado" que a Altice queira vender negócio em Portugal

A Altice negou esta sexta-feira que esteja a equacionar a venda do negócio em Portugal, afirmando que o activo "continua a ser uma peça fulcral na sua estratégia de crescimento".
É "falso e infundado" que a Altice queira vender negócio em Portugal
Miguel Baltazar
Nuno Carregueiro 06 de julho de 2018 às 18:12

"É falso e infundado que a Altice Europe esteja a considerar vender a operação da Altice Portugal". É desta forma taxativa que a empresa de Patrick Drahi reage a mais uma notícia de que a Altice estava a equacionar a venda da actividade em Portugal.

 

A notícia tinha sido avançada pela TMT Finance, com a publicação especializada no sector das telecomunicações e em fusões e aquisições a adiantar que entre os potenciais interessados no negócio da Altice em Portugal estavam a espanhola Telefónica e a francesa Orange.

 

Uma notícia que provocou uma subida acentuada nas acções da Altice, que chegaram a disparar mais de 6% na bolsa de Amesterdão.

 

Em comunicado, a Altice adianta que "ao contrário do que tem sido noticiado, e mais uma vez, a Altice Portugal vem esclarecer que não há qualquer processo de alienação em análise". Para a companhia que controla a Meo, "tratam-se de rumores sem fundamento, já que não há qualquer proposta de compra, nem é equacionada qualquer intenção de venda da operação em Portugal".

 

O "Grupo Altice reafirma, uma vez mais, que a Altice Portugal é e continua a ser uma peça fulcral na sua estratégia de crescimento, já que detém alguns dos principais activos do grupo" e que continua a apostar "em Portugal como um todo", continuando o "seu trabalho para reforçar a sua liderança de mercado, continuando a garantir os melhores serviços e a satisfação dos seus clientes".

 

Os rumores sobre a Altice pretender vender o negócio em Portugal não são novos e no passado foram sempre desmentidos.  O jornal francês "Le Monde" noticiou em Janeiro que a Orange poderia avançar para a compra da PT Portugal caso a companhia de Patrick Drahi mostrasse disponibilidade para vender.

 

Contudo, a empresa francesa desmentiu esse interesse e, também nessa altura, a Altice negou este cenário. 

 

Quando nos últimos meses de 2017 a Altice sofreu quedas violentas em bolsa devido à pressão dos investidores assustados com a elevada alavancagem da empresa (50 mil milhões de euros, a dívida mais elevada entre as telecoms europeias), a empresa de Patrick Drahi anunciou um plano de venda de activos. Este não integrava a PT Portugal.

 

Em Portugal a Altice controla a Meo e recentemente alienou o negócio das torres de telecomunicações no país. Em 2015 a Altice comprou a PT Portugal à Oi, por 5,8 mil milhões de euros, e falhou recentemente a compra da Media Capital, devido às questões regulatórias impostas pela Autoridade da Concorrência.




pub