Telecomunicações Presidente da Anacom: "Há espaço para novos canais na TDT"

Presidente da Anacom: "Há espaço para novos canais na TDT"

A presidente da Anacom, Fátima Barros, frisou hoje que há espaço para novos canais na Televisão Digital Terrestre (TDT) e que abrirá concurso caso os operadores manifestem interesse.
Presidente da Anacom: "Há espaço para novos canais na TDT"
Lusa 17 de abril de 2013 às 17:13

"A disponibilidade existe, há espaço para novos canais", disse Fátima Barros na comissão parlamentar para a ética, a cidadania e a comunicação.

 

A responsável respondia, assim, à deputada do PS, Inês Medeiros, que a questionou se "dentro do que está licenciado há espaço para sete canais".

 

"Estamos encalhados no problema de instalação, não conseguimos chegar à qualidade da oferta porque ainda não temos o básico", disse Inês Medeiros.

 

Por sua vez, Fátima Barros explicou que "o número de canais depende do mercado e dos investidores".

 

"Assim que forem solicitados [pelos operadores] abrimos um concurso público", sublinhou na comissão onde foi ouvida a pedido dos grupos parlamentares do PSD e do CDS-PP, sobre o processo de migração para a TDT e as conclusões do estudo da Deco, segundo o qual 62% das casas com TDT tem "problemas de recepção do sinal".

 

O vice-presidente da Anacom, José Perdigoto, explicou por sua vez que "há espectro disponível neste momento para um canal HD (alta definição) ou mais três canais SD (definição 'standard'), iguais aos da RTP, da SIC e da TVI", distinguindo entre "a decisão política e a do mercado".

Os responsáveis da Anacom afirmaram já ter tido conversas com vários operadores, mas que estes nunca chegaram a pedir o espectro, pelo que "então não há interesse".

 

Segundo o regulador, a questão nada tem a ver com disponibilidade política, mas com o negócio da televisão e a grande concorrência no pago.

 

"Os nossos operadores de televisão têm dificuldades em termos de receitas. Vão investir em canais da parte da televisão paga porque lhes dá mais receitas. O modelo em sinal aberto é extremamente difícil", concluiu Fátima Barros.

 

Quanto à licença temporária de utilização dos três emissores adicionais para TDT - Montejunto, Lousã e Monte da Virgem - o regulador lembrou que a decisão sobre a licença definitiva terá que ser tomada até 18 de Maio.

 

Adiantou ainda que o sentido provável de decisão prevê que esses três emissores passem a estar integrados na licença de TDT, passando então a definitivos, assim como a instalação de emissores principais noutras faixas de frequências (que não o canal 56) que darão origem a redes regionais.

 

Os dois sistemas estarão a funcionar em simultâneo durante um período experimental.

No entanto, se houver problemas na rede, a Portugal Telecom terá de antecipar a instalação destes emissores e começar a fazer a alteração da rede.


A sua opinião19
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 17.04.2013

Então quando vêm?.É uma vergonha o que se passa com a TDT em Portugal.Vejam o que se passa em Espanha e aprendam.

comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

O interesse irá surgir com o lançamento do concurso. Sem concurso não há interesse. E mais: a PT a partir de agora deveria estar de fora obrigatoriamente!

Anónimo 22.04.2013

A TDT não dá direito os 4 que fara os que dizem surgir para alem desses!

Anónimo 18.04.2013

É uma vergonha a TDT estar nas mãos de um operador de TV por cabo. Então é assim que a ANACOM pretende liberalizar e melhorar a oferta? Conceder a um operador de TV por cabo a licença TDT foi matar o negócio antes de nascer! Basta ver o desenvolvimento da TDT espanhola, para ver o erro monumental que foi cometido ao entregar o serviço a quem não o quer desenvolver e o pretende asfixiar.

Anónimo 18.04.2013

Para lá porem mais homossexuais e lésbicas ? Chega os que já há!

ver mais comentários
pub