Telecomunicações Sonaecom admite sair de bolsa mas diz que não há decisão tomada

Sonaecom admite sair de bolsa mas diz que não há decisão tomada

A Sonaecom admite, no prospecto da OPA iniciada esta quinta-feira, 6 de Fevereiro, a saída de bolsa, mas no mesmo documento garante não haver qualquer decisão tomada. E garante que não foi equacionada a fusão da Sonaecom com qualquer empresa do grupo Sonae.
Sonaecom admite sair de bolsa mas diz que não há decisão tomada
Alexandra Machado 06 de fevereiro de 2014 às 10:33

A Sonaecom admite a sua saída de bolsa depois de realizada a OPA (Oferta Pública de Aquisição) que está a oferecer aos seus accionistas minoritários uma contrapartida em acções da Zon Optimus e em dinheiro caso os títulos da Zon Optimus não cheguem para cobrir a oferta.

 

No prospecto divulgado no âmbito da OPA, a Sonaecom admite que "o nível de aceitação da oferta diminui a dispersão da acção pelo público e, consequentemente, a respectiva liquidez", pelo que "não é possível garantir que a Sonaecom se mantenha admitida à negociação, ou que se mantenha a negociar com níveis de liquidez comparáveis aos actuais, ou que mantenha a actual qualidade de sociedade aberta".

 

Isto é admitido no caso de obtenção de mais de 90% do capital e direitos de voto, caso em que é possível o lançamento de uma OPA potestativa sobre o restante capital. Mas é igualmente admitido mesmo no caso em que a oferta potestativa não seja possível. 

 

"Caso não se verifiquem os indicados níveis mínimos legais de detenção para o exercício de direitos de aquisição e alienação potestativa das acções remanescentes, e portanto não sejam exercitáveis os mencionados direitos de aquisição e de alienação potestativa, não se pode excluir que a Sonaecom venha, após a oferta, a perder a respectiva qualidade de sociedade aberta", lê-se no prospecto. 

 

Apesar de admitir retirar a empresa de bolsa, a Sonaecom garante, no entanto, que "não tomou qualquer decisão quanto à eventualidade de, no futuro, após a oferta e caso se verifiquem os correspondentes requisitos, vir a exercer o direito potestativo previsto ou vir a promover a perda da sua qualidade de sociedade aberta".

 

A Sonaecom garante, por outro lado, que a sua actividade se mantém inalterada, não tendo sido "equacionada qualquer eventual futura fusão da Sonaecom com outra qualquer sociedade, designadamente com qualquer outra sociedade do Grupo Sonae".




pub