Telecomunicações Telefónica com prejuízos no final do ano

Telefónica com prejuízos no final do ano

A operadora espanhola lucrou 2,7 mil milhões em 2015, mas registou prejuízos nos últimos três meses com provisões para a reestruturação que está a fazer em Espanha.
Telefónica com prejuízos no final do ano
Paulo Moutinho 26 de fevereiro de 2016 às 09:37

A Telefónica entrou no "vermelho" nos últimos três meses do ano passado. Registou prejuízos de 1,83 mil milhões de euros resultantes de custos de reestruturação que tem em curso no mercado interno. Apesar do saldo negativo no trimestre, obteve lucros de 2,7 mil milhões em 2015.


Depois dos lucros alcançados no quarto trimestre do ano anterior, a operadora de telecomunicações espanhola registou prejuízos nos últimos três meses de 2015 devido à provisão de 2.900 milhões de euros realizada para a redução de postos de trabalho através de reformas antecipadas.


Este prejuízo no final do ano atenuou os resultados de 2015, o que está a levar as acções a caírem 1,45% para 9,287 euros, em Madrid. A Telefónica registou uma quebra de 8,5% nos resultados líquidos do ano passado, cifrando-se estes em 2,7 mil milhões. As receitas no acumulado do ano ascenderam a 47.219 milhões de euros, o que revela um crescimento de 4% face a 2014.


Dividendos?


A operadora, que antecipa um crescimento de 4% das receitas durante este ano, anunciou que vai entregar aos investidores um dividendo de 75 cêntimos, o mesmo valor que entregou no ano passado. No entanto, essa remuneração está dependente do processo de venda da operadora O2 no Reino Unido.

A empresa liderada por Cesareo Izuel está a aguardar pela aprovação por parte do regulador europeu para alienar a operadora à CK Hutchison Holdings Ltd. A expectativa é de que consiga obter a aprovação este semestre, sendo que já utilizou parte do encaixe esperado na redução da sua dívida para evitar um corte de "rating".




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub