Aviação Aeroporto de Lisboa com mais pessoal de apoio e equipamento de handling

Aeroporto de Lisboa com mais pessoal de apoio e equipamento de handling

As principais entidades que operam no aeroporto de Lisboa acordaram um conjunto de medidas de coordenação para mitigar o congestionamento durante o Verão, que vão desde o apoio aos passageiros às operações em pista e à certificação de pilotos. E vão monitorizar quinzenalmente a situação.
Aeroporto de Lisboa com mais pessoal de apoio e equipamento de handling
Bruno Colaço
Maria João Babo 12 de julho de 2018 às 19:02

A Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), a ANA-Aeroportos de Portugal, a TAP e a NAV – Navegação Aérea de Portugal comprometeram-se esta quinta-feira a desenvolver um conjunto de medidas mitigadoras do congestionamento no aeroporto de Lisboa, especialmente nos meses de Verão, adiantou numa nota o Ministério do Planeamento e das Infra-estruturas, depois de uma reunião com aquelas que são as principais entidades que operam na infra-estrutura.

De imediato, comprometeram-se, individual e conjuntamente, a desenvolver medidas como o reforço de pessoal de apoio nas zonas de maior fluxo de passageiros e das equipas de gestão de ocorrências e a melhoria da informação antecipada sobre eventuais perturbações (atrasos e cancelamentos), de modo a facilitar a actuação de todas as entidades e a gestão da ansiedade dos passageiros, é referido.

O compromisso assumido envolve ainda a melhoria do procedimento "ready to go" (descolagem), em ordem à gestão eficiente das operações e o reforço de equipamentos de "handling", nomeadamente autocarros e "push backs" (reboques de aeronaves).

A agilização dos processos de licenciamento e certificação de pilotos foi outro dos acordos entre as várias entidades, que se comprometeram também com a melhoria de planeamento e gestão de pessoal e equipamentos de reserva, assim como a melhoria da articulação operacional entre os diversos intervenientes, através de "network management" e a disponibilização de ILS (sistema de navegação para aterragem em operação de baixa visibilidade) na pista 03, no final do terceiro trimestre.

As entidades vão igualmente realizar, quinzenalmente, reuniões de monitorização da actividade aeroportuária, estendendo a outras entidades os processos de coordenação.




pub