Aviação Ryanair passa a cobrar pela bagagem-de-mão em Novembro

Ryanair passa a cobrar pela bagagem-de-mão em Novembro

A Ryanair já tinha limitado o transporte de malas de mão no início do ano, mas agora põe fim à gratuitidade nas malas de 10 quilos. Os passageiros só poderão transportar uma "pequena mala pessoal".
Ryanair passa a cobrar pela bagagem-de-mão em Novembro
Negócios 23 de agosto de 2018 às 19:55
A Ryanair, que em Janeiro implementou novas regras para o transporte de bagagem na cabine, vai voltar a apertar as regras, a partir de Novembro. E vai passar a cobrar pelas bagagem, excepção feita a uma "pequena mala pessoal" de cada passageiro, revela a Reuters. E esta mala ficará debaixo do banco do passageiro da frente.

Actualmente os passageiros da Ryanair podem transportar consigo uma mala até 10 quilos, mas a partir de Novembro estas malas passarão a custar entre 6 e 10 euros. Isto se a mala for na cabine. Se o cliente optar por pôr a mala no porão pagará entre 8 e 10 euros.

 

A justificação para esta mudança é idêntica à apresentada em Setembro do ano passado, quando a Ryanair anunciou novas regras para a bagagem: reduzir os atrasos dos aviões. A limitação de bagagens na cabine entrou em vigor em Janeiro deste ano.


No ano passado, a empresa explicou que com o crescente volume de passageiros a usufruir da política de bagagem de cabine da Ryanair, que permitia duas peças de bagagem de mão gratuitas, o espaço nos compartimentos de cabine tornou-se insuficiente, o que provocou atrasos nos voos.

 







pub