Aviação Tribunal alemão ordena fim da greve dos pilotos da Lufthansa

Tribunal alemão ordena fim da greve dos pilotos da Lufthansa

O tribunal do trabalho de Hesse, na Alemanha, ordenou o fim da greve dos pilotos da Lufthansa que afectou cerca de 140 mil passageiros. O tribunal decidiu a favor da empresa e considerou que esta paralisação que já ia no segundo dia era "ilegal".
Tribunal alemão ordena fim da greve dos pilotos da Lufthansa
André Vinagre 09 de setembro de 2015 às 15:36

O tribunal de Hesse ordenou o fim da greve dos pilotos da Lufthansa esta quarta-feira, dia 9 de Setembro. De acordo com a BBC, esta decisão vem depois de os tribunais do trabalho de Frankfurt e Colónia terem rejeitado a resolução provisória solicitada pela Lufthansa para terminar a greve.

 

Os pilotos tinham começado a greve esta terça-feira, 8 de Setembro, com uma paralisação dos voos de longo curso, estendendo-se esta quarta-feira, 9 de Setembro, aos voos de médio e pequeno curso.

 

A paralisação organizada pelo sindicato de pilotos da Lufthansa, o Vereinigung Cockpit, afectou cerca de 140 mil passageiros.

 

A empresa diz que a decisão do tribunal foi uma boa notícia para os passageiros, mas que chegou demasiado tarde, já que a greve alterou os horários dos voos desta quarta-feira. A companhia aérea alemã já disse que os horários vão voltar ao normal na quinta-feira.

 

Na base do conflito laboral entre o sindicato e a direcção da companhia aérea alemã estão as condições do regime de pré-reforma.

 

Esta greve, que foi a 13ª paralisação em 18 meses, afectou cerca de 1.000 voos.

 

A transportadora alemã diz ainda que vai avançar com a alteração dos contractos que faz com que os vencimentos dos pilotos da Lufthansa sejam equiparados aos pilotos das companhias "low-cost".




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado matita42 Há 1 semana

O que será que impede o tribunal em Portugal de fazer o mesmo? Se é falta de legislação porque não se copia a alemã?
Até hoje ainda não vi umtribunal em Portugal considerar uma greve ilegal.

comentários mais recentes
AMLG Há 1 semana

Por cá, e a pesar de existirem leis idênticas, os governos nem arriscam enviar o tema para os tribunais uma vez que os Juízes não decidem com base na lei mas sim no seu "orgulhoso" bom senso. Que tipicamente cai sempre para os amigalhaços pilotos. Os Países e os povos são realmente diferentes. No nosso caso, e por muito que nos custe, somos atrasados e baixamos sempre as orelhas, sem exigir um serviço de qualidade equiparado aos impostos que pagamos. Não se iludam, a culpa é nossa!

João Ferreira Há 1 semana

Cá o que falta é EXIGENCIA...

Adelino Lobão Há 1 semana

pois... foi na Alemanha, da Merkel. O tal país que manda na europa toda, que rouba aos pobres do Sul, que quer matar á fome os gregos e demais... etc, etc... Em Portugal, pelo contrário, a GREVE é um direito DIVINO dos TRABALHADORES das Empresas que acumulam dividas, a serem pagas pelos impostos das empresas e trabalhadores dos privados. esse grande Exemplo dado pelos acontecimentos recentes dos Pilotos da TAP... pobres alemães, sem CGTP, PCP, PS, BE e Tribunal Constitucional, quem os defende da MISERIA??!!... as diferenças são apenas conicidencias

Alvaro Thomaz da Fonseca Há 1 semana

Haja ordem

ver mais comentários
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub