Transportes Alemanha admite transportes públicos de borla em cidades poluídas

Alemanha admite transportes públicos de borla em cidades poluídas

A Alemanha enviou uma carta à Comissão Europeia com várias medidas que pode implementar para melhorar a qualidade do ar.
Alemanha admite transportes públicos de borla em cidades poluídas
Negócios 13 de fevereiro de 2018 às 16:14
Está ainda em estudo a ideia. Mas o governo central alemão estará a equacionar não cobrar nos transportes públicos nas cidades que tenham elevados níveis de poluição, avançou a Reuters, que cita uma carta ao comissário do Ambiente onde aponta outras medidas.

A carta enviada a Karmenu Vella, comissário europeu do Ambiente, foi assinada pelas ministras do Ambiente Barbara Hendricks, e Agricultura, Christian Schmidt, e o chefe da chancelaria Peter Altmaier.

A Alemanha, conta a Reuters, está sob pressão da Comissão Europeia, que em Janeiro prometeu mão de ferro sobre as emissões poluentes, e ameaçou penalizar os estados-membros que desrespeitem as regras europeias.

As autoridades alemãs enfrentam algumas acções por causa de problemas na qualidade do ar nas cidades.

Assim, à Comissão Europeia, o governo alemão propõe zonas de baixas emissões, transportes públicos grátis para reduzir a utilização de automóveis, e incentivos adicionais ao carro eléctrico e modernização dos actuais veículos desde que seja economicamente viável. 

A Alemanha tenciona testar estas medidas em cinco cidades - Bona, Essen, Herrenberg, Reutlingen e Mannheim - antes de avançar com as medidas mais bem sucedidas em todas as cidades. 

Os autores da carta garantem que acordaram estas medidas entre os estados e as autarquias, mas, citado pela Reuters, Helmut Dedy, director-geral da Associação alemã de Cidades, mostrou-se surpreendido, dizendo que houve planos para baixar os preços dos bilhetes em algumas cidades, mas acrescenta que o governo federal tem de financiar o transporte público se o quiser grátis. 

A maioria das transportadoras na Alemanha são detidas pelos municípios.