Transportes Camionistas dão quatro dias ao Governo para responder a propostas

Camionistas dão quatro dias ao Governo para responder a propostas

A ANTRAM indicou esta segunda-feira, após uma reunião com o secretário de Estado das Infraestruturas, que vai aguardar quatro dias por respostas do Governo às propostas que apresentou para o sector do transporte rodoviário de mercadorias, admitindo acções de protesto no futuro.
Camionistas dão quatro dias ao Governo para responder a propostas
Bruno Simão/Negócios
Pedro Curvelo 28 de maio de 2018 às 13:53

A Associação Nacional de Transportes Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) indicou esta segunda-feira, após uma reunião com o secretário de Estado das Infraestruturas (SEI), que vai aguardar quatro dias por respostas do Governo às propostas que apresentou para o sector.

Em comunicado, a ANTRAM, a maior associação do sector do transporte rodoviário de mercadorias, diz ter apresentado várias medidas concretas que gostaria de ver implementadas. Entre as propostas que colocou em cima da mesa, a ANTRAM destaca o alargamento do regime do gasóleo profissional por mais dois anos, para um maior número de litros e incluindo veículos a partir das 7,5 toneladas, a majoração com custos de combustíveis em sede de IRC e maiores benefícios fiscais.

A associação liderada por Gustavo Duarte (na foto) aguardará, por quatro dias, "feedback do SEI relativamente à proposta apresentada". "Findo esse período, e caso não obtenha qualquer resposta, a associação estará totalmente solidária com as acções que as empresas de transporte decidirem definir", conclui.

A reunião com o Governo incluiu também a Associação Nacional das Transportadoras Portuguesas (ANTP), que já havia reunido no domingo à noite com o secretário de Estado. Apesar de ter manifestado agrado com a abertura negocial da parte do Executivo, a ANTP manteve o protesto que decorre desde as 08:00 desta segunda-feira.

À saída da reunião de hoje, o presidente da ANTP, Márcio Lopes, revelou que o Governo vai criar um grupo de trabalho para o sector e que os promotores da paralisação desta segunda-feira irão reunir-se para decidir se mantêm os protestos ou os suspendem.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
policia/GNR, militares velhinhos 60 anosS/Corte Há 3 semanas

este labregos ate ameçam o governo, país de camionistas com 4ª classe

RSANTOS Há 3 semanas

Mais um profissional do sindicalismo a 'botar' discurso. Mais um inutil a fazer ameaças.

pub