Transportes Richard Branson investe em projecto idealizado por Elon Musk

Richard Branson investe em projecto idealizado por Elon Musk

O dono da Virgin associou-se à ideia de Elon Musk. O investimento não é conhecido, mas o projecto de transporte rápido em desenvolvimento no deserto do Nevada passa a exibir também o nome da companhia de Branson.
Richard Branson investe em projecto idealizado por Elon Musk
Hyperloop/Tesla/Spacex
Paulo Zacarias Gomes 12 de outubro de 2017 às 16:33
O empresário britânico multimilionário Richard Branson, dono da Virgin, investiu na companhia Hyperloop One, que pretende implementar um sistema de transporte rápido através de tecnologia de levitação magnética.

O investimento - cujo valor não é conhecido - foi anunciado esta quinta-feira, 12 de Outubro pela empresa norte-americana sediada em Los Angeles.

Segundo a Reuters, a presença de Branson no capital revestirá a forma de parceria estratégica. O empresário terá assento na administração e a tecnologia passará a chamar-se Virgin Hyperloop One nos próximos meses.

O conceito Hyperloop One, proposto pelo fundador do construtor automóvel Tesla, Elon Musk, propõe-se ligar Nova Iorque a Washington em apenas 29 minutos, estabelecer uma ligação entre Los Angeles e São Francisco e construir vários túneis em Los Angeles para descongestionar o tráfego.

A tecnologia - que propõe o transporte de pessoas e mercadorias a alta velocidade dentro de cápsulas - já teve, em Julho, a aprovação verbal das autoridades norte-americanas e tem estado a ser desenvolvida ao longo dos últimos dois anos no deserto do Nevada nos Estados Unidos.

Os passageiros e a carga são colocados numa cápsula que é gradualmente acelerada dentro de um túnel com baixas pressões, recorrendo a propulsão eléctrica. A cápsula desloca-se e afasta-se das extremidades do túnel através de levitação magnética e desliza a velocidades que poderão chegar aos 1.100 quilómetros por hora.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub