Turismo & Lazer Coudelaria de Alter vai ser concessionada a privados

Coudelaria de Alter vai ser concessionada a privados

O Governo lança esta segunda-feira o concurso para concessionar a Coudelaria de Alter, no âmbito do programa Revive.
Coudelaria de Alter vai ser concessionada a privados
Turismo de Portugal
Alexandra Machado 23 de abril de 2018 às 17:20
É um dos 33 imóveis que está integrado no Programa Revive, que o Estado pretende concessionar aos privados para exploração. Esta segunda-feira foi publicado em Diário da República o lançamento do concurso para a concessão de um conjunto de imóveis na Coudelaria de Alter por 50 anos.

De acordo com informação disponibilizada pelo Ministério da Economia, "os investidores interessados têm agora 90 dias para se candidatar".

Neste concurso a componente da qualidade da proposta prevalece sobre o factor preço. De acordo com o estipulado o critério relativo à qualidade tem uma ponderação de 60%, ficando o custo com 40%.

O Ministério da Economia lembra que a Coudelaria de Alter "é a mais antiga e notável coudelaria portuguesa, tendo sido fundada em 1748 pelo rei D. João V", pelo que o Governo "decidiu integrar parte do edificado da Coudelaria no Programa Revive, para que uma entidade privada faça a respectiva exploração turística de forma sustentável e ancorada na temática equestre, requalificando o respectivo edificado".

O objectivo é que quem ganhar o concurso realize obras, nomeadamente de infra-estruturação, para posteriormente explorar a Coudelaria de Alter para fins turísticos "como empreendimento turístico ou estabelecimento de alojamento local", diz-se no concurso público do Instituto do Turismo.

O núcleo principal de concessão integra a Casa do Campo, a Cocheira Velha, o edifício dos serviços administrativos, o museu e a cafetaria. Mas o Governo admite estender a concessão a outras áreas, que, no entanto, será opcional. Admite-se estender a concessão à enoteca, lagar, falcoaria e pocilgas. E vai dizendo que "as propostas que integrem maior área serão majoradas para efeitos de adjudicação".

Dos 33 imóveis integrados no Revive, este é o sexto concurso lançado. O primeiro concurso, o do Convento de São Paulo, em Elvas, já foi ganho pelo grupo Vila Galé, dizendo o Ministério da Economia que o projecto "deverá abrir portas no início do próximo ano".

O segundo concurso - Pavilhões do Parque D. Carlos I, nas Caldas da Rainha - foi ganho pela Visabeira. E o Hotel Turismo da Guarda foi adjudicado ao agrupamento MRG.

Está, por outro lado, em fase de apresentação de propostas o concurso relativo ao conjunto patrimonial composto pelo Convento do Bom Jesus de Valverde e pela Quinta do Paço de Valverde, em Évora. E, recentemente foi lançado o concurso do Colégio de São Fiel, em Castelo Branco.




pub