Turismo & Lazer Não sabe? Vá ao Google… e de repente passaram 15 anos

Não sabe? Vá ao Google… e de repente passaram 15 anos

O maior motor de busca do mundo comemora esta sexta-feira os seus 15 anos. O termo “googlar” faz parte do dia-a-dia do mundo, mas apesar da liderança em muitas frentes, o Google continua a ter muitos desafios.
Não sabe? Vá ao Google… e de repente passaram 15 anos
Ana Torres Pereira 27 de setembro de 2013 às 14:56

Uma década e meia depois, o Google é muito mais do que o endereço www.google. Hoje, esta empresa criou um império e entrou na vida de todos, desde o correio electrónico, à publicidade dirigida, sem esquecer a penetração no segmento dos “smartphones” e dos “tablet PC”.

 

A 27 de Setembro de 1998 era fundada a empresa dos “Google Guys” e de certo que os seus fundadores,  Larry Page e Sergey Brin, estariam longe de imaginar em que empresa se tornaria passados 15 anos.

 

Apesar de ter sido registada oficialmente no dia 4 de Setembro de 1998, o Google celebra o seu aniversário mais tarde, porque foi neste dia que Page e Brin abriram oficialmente o escritório da empresa, localizado em Santa Margarida, Menlo Park. 

 

O primeiro nome dado ao Google foi BackRub, com o qual o sistema operou no ambiente universitário por um ano. O nome Google surgiu apenas em 1997. A empresa começou com um capital social de 100 mil dólares e hoje vale mais do que 250 mil milhões de dólares.

 

Em conferência de imprensa para assinalar o seu aniversário, escolhendo a garagem onde tudo começou, a Google apresentou um novo algoritmo. A tecnologia "Hummingbird" (beija flor) pretende responder de forma mais adequada a perguntas completas colocadas pelos cibernautas quando fazem pesquisas no Google.


Amit Singhal, vice-presidente da Google para a área da pesquisa, explicou que o Humminbird pretende “dar resposta à evolução do uso da Internet, combinando conceitos e significados, além das ‘palavras-chave’, nos resultados oferecidos aos cibernautas. 

 

O Google conseguiu não só manter a liderança enquanto maior motor de busca, como conseguiu vingar com o seu sistema operativo para dispositivos móveis, o Android. No entanto ainda não chega para liderar o mercado das aplicações, assumido pela Apple. E na área das redes sociais, o Google + ficou aquém da sua concorrência mais directa, nomeadamente o Facebook e o Twitter.

 

Não parando a inovação, a Google lançou o projecto Google Glass, que diz ser o futuro da pesquisa. E continua com o seu plano de aquisições, com a compra mais recente do Bump, empresa que detém a aplicação do mesmo nome e que permite partilhar arquivos através do contacto entre dispositivos.

 

A guerra na indústria faz-se cada vez mais entre um grupo muito restrito de empresas, a Google, Microsoft, o Facebook e a Apple. No entanto, o Google não pode adormecer na liderança, uma vez que, em Agosto último, a Yahoo conseguiu atrair 196 milhões de utilizadores nos EUA, mais 4,3 milhões do que a rival Google. A Yahoo superou a Google em número de visitas, no mês de Julho, pela primeira vez desde Maio de 2011, nos Estados Unidos da América (EUA), segundo a agência Bloomberg.

 

A Google tem, consecutivamente, sido posta à prova pela autoridades da concorrência, com vários processos em curso que ameaçam a gigante de práticas anti-monopolistas. E a Comissão Europeia deverá exigir mais concessões da Google no âmbito da investigação anti-monopolista sobre as práticas da empresa.

 

Já este mês, a empresa propôs novas medidas para pôr fim à investigação sobre as práticas anti-concorrenciais da empresa e evitar uma possível multa de 5 mil milhões de dólares (3,79 mil milhões de euros).

 

Já no mercado de capitais, a empresa continua em grande. Como o Negócios noticiou, há cada vez mais analistas a avaliarem as acções da Google acima dos 1.000 dólares. A dona do maior motor de busca do mundo tem vindo a ganhar popularidade junto dos bancos de investimento, que acreditam que os títulos da empresa norte-americana serão capazes de atingir este patamar psicológico.

 

Para comemorar os seus 15 anos, a empresa não só criou o seu “doodle”, onde é possível fazer um jogo com o logotipo da empresa, como criou um “easter egg”, ou seja, uma brincadeira escondida no seu motor de busca. Se pesquisar “Google in 1998” pode ser transportado para o motor de busca de há 15 anos.

 




pub