Turismo & Lazer Vinho ultrapassa "sol e mar" como imagem do turismo português

Vinho ultrapassa "sol e mar" como imagem do turismo português

Três em cada quatro especialistas internacionais do sector rejeitam a ideia de que a crise esteja a afectar negativamente a imagem do país enquanto destino turístico.
Vinho ultrapassa "sol e mar" como imagem do turismo português
Egídio Santos/Negócios
António Larguesa 20 de Fevereiro de 2014 às 12:07

O vinho (31%) é o produto mais associado à actividade turística em Portugal, superando pela primeira vez a clássica imagem de destino de “sol e mar” (17%), mostra um inquérito realizado junto de uma centena de membros da Organização Mundial do Turismo, divulgado esta quinta-feira em Vila Nova de Gaia. Seguem-se nesta lista a História (16%), o Golfe (14%) e a Gastronomia (14%).

 

Questionados sobre qual devia ser o produto ou ideia-chave para comunicar internacionalmente Portugal como destino turístico, este grupo de especialistas internacionais, provenientes de mais de 30 países e inquiridos entre Dezembro e Janeiro, voltou a apontar o vinho em primeiro lugar (35%). Só depois indicaram o “sol e mar” (20%), sendo que 15% aconselharam o país a apresentar-se ao mundo como um “destino seguro”.

 

O estudo “The Image of Portuguese Tourism”, realizado pelo IPDT – Instituto de Turismo, mostra ainda que, à medida que os anos passam, o contexto de crise ameaça cada vez menos a imagem externa de Portugal. Em 2013, “apenas” 25% dos inquiridos referiram que o ambiente macroeconómico afecta negativamente a imagem do país como destino turístico, o que compara com a percentagem de 45% obtida no ano anterior.

 

Numa escala de 0 a 10 (muito pobre a muito atractivo), 78% dos especialistas atribuiu uma classificação igual ou superior a 8 ao destino Portugal. A mesma classificação é atribuída por 88% dos membros do painel quando questionados sobre a sua experiência em terras lusas.

 

As conclusões deste estudo estão a ser apresentadas no Fórum Internacional de Turismo (FIT’14), em Vila Nova de Gaia, onde vai intervir o grego Manolis Psarros, consultor estratégico do sector que colabora com as autoridades de Atenas. Em entrevista ao Negócios, o director-geral da “abouTurism” referiu que “Portugal posicionou-se melhor do que a Grécia no turismo de luxo”.




A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado António Larguesa 20.02.2014

Caro Nuno, este estudo não foi realizado por uma entidade de Vila Nova de Gaia, mas sim apresentado durante o Fórum Internacional de Turismo, que está a decorrer num hotel da cidade.

comentários mais recentes
asCetasayyu6 Há 3 semanas

http://generic-viagra.bid/ - viagra http://cialis-price.us/ - cialis price http://buywellbutrin.space/ - buy wellbutrin xl

asCetaqn06ri Há 4 dias

http://amoxicillin500mg.click/ - can you buy amoxicillin over the counter http://propeciacost.review/ - generic propecia 1mg http://seroquelonline.us/ - seroquel online

José António Lamas 20.02.2014

Quem acredita nos resultados deste inquérito??? É só turistas a correr para as adegas, ah, ah!!! Devem estar loucos...

Anónimo 20.02.2014

mais um instituto a botar palavreado

ver mais comentários
pub