Bolsa BCP e Sonae impulsionam bolsa nacional para terceiro dia em alta

BCP e Sonae impulsionam bolsa nacional para terceiro dia em alta

A bolsa lisboeta valorizou pela terceira sessão consecutiva, num dia em que os ganhos do BCP, da Sonae e do sector energético apoiaram.
BCP e Sonae impulsionam bolsa nacional para terceiro dia em alta
Bruno Simão/Negócios
David Santiago 08 de agosto de 2016 às 16:44

O PSI-20 fechou a sessão bolsista desta segunda-feira, 8 de Agosto, a ganhar 0,49% para 4.702,94 pontos, com 13 cotadas a negociar em alta, quatro em queda e uma inalterada, naquele que foi o terceiro dia seguido a acumular ganhos. A praça lisboeta seguiu a tendência predominante nas principais praças europeias, isto apesar de o índice de referência europeu ter negociado praticamente inalterado com os investidores a avaliaram os motivos que levaram o Stoxx 600 a registar a maior valorização em três sessões em mais de três meses.

 

No plano nacional, foi o BCP que mais apoiou a prestação do PSI-20 ao valorizar 3,89% para 0,0187 euros. Depois de confirmado o interesse dos chineses da Fosun (que já detêm a Fidelidade) em adquirir até 30% do banco liderado por Nuno Amado, Marques Mendes revelou este domingo que o presidente daquela instituição, Guo Guangchang, esteve na passada quinta-feira em Lisboa para se reunir com a administração do BCP e com o Banco de Portugal. 

Ainda no sector financeiro, o BPI cresceu 0,36% para 1,116 euros.

 

Continuando no verde, a Galp Energia avançou 0,59% para 12,76 euros, acompanhando a tendência de fortes ganhos do preço do petróleo nos mercados internacionais. Em Londres, o Brent do Mar do Norte, utilizado como valor de referência para as importações nacionais, segue a subir 2,42% para 45,34 dólares por barril. A OPEP acredita que o petróleo vai valorizar até ao final deste ano.

 

Seguindo no sector energético, a DP apreciou 0,85% para 3,083 euros e a EDP Renováveis ganhou ligeiros 0,03% para 7,045 euros.

 

Também em alta negociou a Sonae que subiu 3,67% para 0,678 euros, a maior subida diária da retalhista desde 20 de Julho.

 

Ainda no sector do retalho e a impedir uma maior subida do principal índice nacional esteve a Jerónimo Martins, que recuou 0,54% para 14,835 euros.

 

Também no vermelho, a Nos resvalou 0,46% para 5,855 euros.

 

Por fim, destaque pela negativa ainda para os CTT que perderam 0,55% para 6,822 euros, no quinto dia consecutivo a perder valor. Depois de ter anunciado uma quebra de 19,1% dos lucros no primeiro semestre, os CTT vêm a acumular uma série de perdas em bolsa. Nas duas sessões que seguiram à divulgação de resultados, os correios nacionais desvalorizaram perto de 8%.


(Notícia actualizada às 16:50)




pub