Bolsa BES e BCP perdem 1% e levam bolsa nacional para terreno negativo

BES e BCP perdem 1% e levam bolsa nacional para terreno negativo

O mercado português inverteu a tendência positiva registada no início da sessão e acompanha agora as quedas que se registam nas praças europeias. BCP e BES perdem mais de 1%.
BES e BCP perdem 1% e levam bolsa nacional para terreno negativo
Ana Luísa Marques 16 de julho de 2013 às 09:42

O principal índice do mercado português recua 0,44% para os 5.382,64 pontos, com 16 cotadas em queda, três em alta e uma inalterada.

 

O PSI-20 iniciou o dia em alta mas inverteu para terreno negativo quando as quedas do sector bancário se acentuaram. O BCP perde agora 1,15% para os 8,6 cêntimos, enquanto o Banco Espírito Santo recua 1% para os 59,4 cêntimos. O BPI desvaloriza 1,71% para os 86,4 cêntimos.

 

Mas a maior queda continua a ser protagonizada pela Banif. O banco liderado por Jorge Tomé segue em queda há seis sessões consecutivas e já renovou esta manhã um novo mínimo histórico nos 3,5 cêntimos por acção.

 

As acções perdem 12,20% para os 3,6 cêntimos.

 

A penalizar o desempenho do índice nacional estão também as acções da EDP, que recuam 0,58% para os 2,39 euros. Os restantes títulos do sector seguem alta, com a EDP Renováveis a ganhar 0,13% para os 3,725 euros e a Galp Energia a valorizar 0,04% para os 11,57 euros.

 

Ainda a travar uma queda mais acentuada do PSI-20 segue a Portugal Telecom. A operadora ganha 0,18% para os 2,755 euros.

 

Esta segunda-feira, a PT chegou a negociar em mínimos de 1996 depois do banco de investimento Exane BPN Paribas ter reduzido o preço-alvo da empresa em 38% para 2,60 euros e a recomendação de “neutral” para “underperform”.

 

Na recta final da sessão, porém, a operadora de Henrique Granadeiro conseguiu inverter a tendência e fechou a apreciar 1,48% para 2,75 euros por título, beneficiando da notícia que a Oi ia encaixar 820 milhões de euros com dois negócios no Brasil.

 

A empresa agora liderada por Zeinal Bava anunciou a venda da GlobeNet à BTG Pactual por 1,75 milhões de reais (589 milhões de euros) e a concessão de duas mil torres de telecomunicações por 687 milhões de reais (231 milhões de euros). A notícia levou as acções da operadora brasileira a dispararem mais de 5%.




A sua opinião12
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Atento 16.07.2013

Merkel telefonou esta manhã a Cavaco e perguntou : então como está? - Nada bem, nada bem, à noite não consigo dormir... _ Então porquê? _ Ouço passos, portas a bater e não me sinto seguro...

comentários mais recentes
Anónimo 16.07.2013

alguem reparou na subida do banif durante a tarde... ahaha sabem o que quer dizer? eu explico: ACABARAM-SE AS ACOES A 0.01 vai ser tão bom dia 31 de JULHO

Anónimo 16.07.2013

DESISTAM - A Bolsa só arranca lá para o Outono.

Atento 16.07.2013

Merkel telefonou esta manhã a Cavaco e perguntou : então como está? - Nada bem, nada bem, à noite não consigo dormir... _ Então porquê? _ Ouço passos, portas a bater e não me sinto seguro...

Anónimo 16.07.2013

Lucros?! Indiscutivelmente a EDPR!

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub