Bolsa Bolsa de Lisboa em queda em linha com a Europa

Bolsa de Lisboa em queda em linha com a Europa

O principal índice da bolsa de Lisboa arrancou a sessão em queda, numa altura em que o BCP e a Mota-Engil registam perdas em torno de 1%. As restantes praças europeias estão também com sinal negativo.
A carregar o vídeo ...
Ana Laranjeiro 22 de março de 2018 às 08:18

A bolsa de Lisboa abriu a sessão desta quinta-feira, 22 de Março, em queda, interrompendo assim um ciclo de duas sessões em alta. O PSI-20 recua 0,40% para 5.408,46 pontos, com 13 empresas em queda, duas em alta e três inalteradas. Entre as restantes praças europeias o sentimento é também de perdas.

Este comportamento das bolsas do Velho Continente tem lugar numa altura em que os investidores digerem a decisão da Reserva Federal dos EUA. Tal como esperado, o banco central determinou uma subida de 25 pontos base da taxa dos fundos federais, que passou para um intervalo entre 1,50% e 1,75%. A recuperação do mercado laboral e da taxa de inflação dos EUA justificam esta decisão, que fez aliás com que as estimativas dos analistas para o número de subidas em 2018 dos juros norte-americanos passassem de três para quatro.

Esta quinta-feira, será a vez do Banco de Inglaterra se pronunciar sobre a sua política monetária. O mercado antecipa que a autoridade monetária deixe inalterada a taxa de referência e o seu programa de compra de activos. Ainda assim, o governador da instituição, Mark Carney, poderá adoptar um discurso mais agressivo, com o objectivo de preparar o mercado para uma subida de juros já na reunião de Maio.

Além disso, os investidores podem estar também a avaliar a possibilidade de a administração Trump aplicar mais taxas aduaneiras, desta vez sobre os produtos chineses. Fontes da Reuters, admitiram ontem que esta sexta-feira era a data provável para o anúncio destas tarifas, que podem incidir sobretudo em produtos da área das tecnologias e das telecomunicações.

Em Lisboa, destaque para as acções do BCP e da Mota-Engil. O banco liderado por Nuno Amado desce 1% para 27,7 cêntimos e a construtora perde 0,95% para 3,64 euros.

No retalho, a Jerónimo Martins desvaloriza 0,51% para 14,74 euros e a Sonae perde 0,68% para 1,16 euros.

Na energia, a EDP cede 0,07% para 2,998 euros e a EDP Renováveis cai 0,33% para 7,635 euros e a Galp Energia desce 0,29% para 15,545 euros, isto numa altura em que os preços do petróleo estão igualmente em queda ligeira nos mercados internacionais. O Brent do Mar do Norte, referência para as importações nacionais, cede 0,23% para 69,31 dólares por barril. A REN recua 0,08% para 2,472 euros.

A Semapa é um dos títulos em alta, avançando 0,42% para 19,28 euros, e contrariando o sentimento das restantes empresas do sector da pasta e do papel. A Navigator perde 0,41% para 4,802 euros e a Altri recua 0,77% para 5,18 euros.

A Ibersol é a outra cotada em terreno positivo, crescendo 0,44% para 11,45 euros.