Bolsa Bolsa desce pela terceira sessão com Mota a pressionar. Benfica e Martifer disparam

Bolsa desce pela terceira sessão com Mota a pressionar. Benfica e Martifer disparam

Num dia negativo na bolsa nacional, duas cotadas fora do PSI-20 estiveram em evidência pela positiva.
Bolsa desce pela terceira sessão com Mota a pressionar. Benfica e Martifer disparam
Pedro Catarino/CM
Nuno Carregueiro 30 de agosto de 2018 às 16:50

A bolsa nacional fechou em terreno negativo pela terceira sessão, pressionada pelas cotadas com maior peso no PSI-20, num dia que também foi de perdas para as bolsas europeias.

 

O PSI-20 caiu 0,6% para 5.462,73 pontos, com 13 cotadas em terreno negativo e apenas duas em alta. Nas restantes praças europeias a tendência também foi de queda, com os investidores à espera de novidades nas negociações das tarifas entre os Estados Unidos e o Canadá e numa altura em que os EUA se prepararam para introduzir novas tarifas sobre importações chinesas no valor de 200 mil milhões de dólares.

 

A bolsa espanhola foi a que mais caiu na Europa, com o IBEX a ceder mais de 1%, devido ao agravamento da crise financeira na Argentina, que levou o banco central do país a elevar a taxa de juro para 60%.

 

Na bolsa nacional, a Jerónimo Martins foi a que mais pressionou o PS-20, prolongando a tendência negativa das últimas sessões no sector do retalho. As acções da dona do Pingo Doce caíram 1,63% para 13 euros. A Sonae SGPS desceu 0,43% para 0,927 euros, sendo que ao longo da sessão tocou em novos mínimos de Junho de 2017.

 

Outro sector em destaque pela negativa foi o da pasta e papel, a reflectir a desvalorização recente do dólar face ao euro. A Navigator caiu 1,46% para 4,33 euros, a Semapa cedeu 1,19% para 18,22 euros e Altri desvalorizou 1,82% para 8,07 euros.  

 

Mas foi a Mota-Engil que mais pressionou a praça portuguesa, com as acções a reagirem de forma desfavorável aos resultados do primeiro semestre que a construtora anunciou pouco depois da abertura da sessão (lucros aumentam 24%). As acções desceram 2,1% para 2,80 euros.  

Ainda no lado das quedas, o Banco Comercial Português caiu 0,82% para 25,32 cêntimos e a EDP Renováveis desceu 0,64% para 8,56 euros. Os CTT e a Corticeira Amorim foram as únicas cotadas do PSI-20 a fechar em alta.

 

Fora do PSI-20 destacaram-se duas cotadas devido aos ganhos expressivos que registaram. A Martifer, que hoje vai anunciar os resultados do primeiro semestre, disparou 10% para 0,572 euros, renovando máximos de Junho de 2014.

 

As acções da SAD do Benfica valorizaram 6,25% para 2,38 euros. Pouco depois da abertura da sessão os títulos chegaram a subir mais de 20% para máximos de Abril de 2014, depois do clube ter vencido o PAOK, garantindo assim o apuramento para a Liga dos Campeões e um encaixe de 42,9 milhões de euros.



pub