Bolsa Bolsas europeias registam maior subida em dois dias desde 2011

Bolsas europeias registam maior subida em dois dias desde 2011

A banca e o sector automóvel são os que mais impulsionam os principais índices europeus, que negoceiam em alta pela segunda sessão consecutiva. O índice de referência ganha 3%.
Bolsas europeias registam maior subida em dois dias desde 2011
Bloomberg
Rita Faria 15 de fevereiro de 2016 às 12:12

As bolsas europeias estão a negociar em alta esta segunda-feira, 15 de Fevereiro, pela segunda sessão consecutiva, depois das fortes perdas registadas desde o arranque do mês. As empresas do sector automóvel e financeiro são as que mais impulsionam as praças do Velho Continente numa sessão marcada pelo optimismo dos investidores em torno da possibilidade de mais estímulos dos bancos centrais.

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, ganha 2,99% para 321,75 pontos. Esta variação eleva para praticamente 6% o ganho do índice desde o fecho de quinta-feira – a maior valorização em dois dias desde 2011.

A liderar os ganhos na Europa está o índice italiano, com uma valorização de 4,19%, e a bolsa de Atenas, que dispara 9,4%, depois de ter atingido um novo mínimo histórico na passada quinta-feira. A banca, que tem pressionado os índices bolsistas, está hoje a impulsionar.

Os gregos Eurobank Ergasias e Alpha Bank registam subidas de 29,63% e 20,45%, respectivamente, enquanto o italiano Banca Monte dei Paschi di Siena ganha 10,19%.

A tendência estende-se ao restante sector na Europa. O índice que reúne os maiores bancos da região aprecia 3,72% depois de ter atingido, na quinta-feira, o valor mais baixo desde Agosto de 2012.

O Deutsche Bank, que esteve no centro da tempestade da banca europeia, ganha 2,48%. O Danske Bank soma 6,23% e o Credit Suisse sobe 3,51%. Já o HSBC valoriza 0,94% depois de ter anunciado que vai manter a sua sede em Londres.   




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 15.02.2016

veja-se só na grécia há bancos a dispararem cerca de 30%, cá neste cancro de país e na trampa de bolsa que temos o bcp essa aberração o próximo a ir à falência apenas tem uma valorização marginal de 1,8% na sexta a balsa valorizou 1,66% o bcp afundo 2,99% a falência é certa e não tarda

pub
pub
pub
pub