Bolsa Bolsas japonesas caem mais de 5% e iene atinge máximos de mais de um ano

Bolsas japonesas caem mais de 5% e iene atinge máximos de mais de um ano

O Topix e o Nikkei registaram as maiores descidas desde Agosto do ano passado, prolongando o pessimismo que marcou o arranque da semana na Europa e Estados Unidos. O iene, por seu lado, está em máximos de Novembro de 2014 face ao dólar.
Bolsas japonesas caem mais de 5% e iene atinge máximos de mais de um ano
Rita Faria 09 de Fevereiro de 2016 às 07:41

Os principais índices japoneses registaram as maiores descidas em quase seis meses esta terça-feira, 9 de Fevereiro, prolongando o pessimismo que marcou o arranque da semana na Europa e Estados Unidos.

O Topix deslizou 5,51% para 1304,33 pontos, enquanto o Nikkei caiu 5,4% para 16.085,44 pontos. Estas sãos as maiores descidas desde Agosto do ano passado, quando as preocupações em torno da economia chinesa penalizaram fortemente os mercados de acções.

Nas últimas seis sessões bolsistas, os principais índices japoneses valorizaram apenas em uma.

O arranque da semana ficou marcado pelo regresso das preocupações em torno da evolução da economia mundial, que provocaram fortes quedas nas bolsas de todo o mundo.  

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, desvalorizou mais de 3,5% para mínimos de Outubro de 2014 enquanto os mercados norte-americanos atingiram mínimos de 22 meses.

Por outro lado, o aumento das preocupações em torno da economia global, e dos riscos de deflação e recessão, faz crescer o apetite por activos percepcionados como mais seguros, como é o caso do ouro, a dívida alemã e norte-americana, e o iene.

A divisa japonesa subiu esta terça-feira, pela segunda sessão consecutiva, superando os 115 por dólar norte-americano pela primeira vez em mais de um ano. O iene está no valor mais alto face ao dólar desde Novembro de 2014.

Já os juros da dívida pública do Japão a dez anos registaram uma queda sem precedentes para um nível abaixo de zero. A ‘yield’ associada às obrigações a dez anos desceu 3,6 pontos base para -0,081%. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub