Bolsa FT: Deutsche Börse aproveita "Brexit" para fusão com a LSE

FT: Deutsche Börse aproveita "Brexit" para fusão com a LSE

O "timing" surpreendeu, mas o Financial Times vem agora revelar que foi propositado. Com a proposta de fusão em cima do referendo à "Brexit", a gestora alemã antecipou-se à concorrência. A concretizar-se o negócio, a nova empresa deverá sediar-se em Londres.
FT: Deutsche Börse aproveita "Brexit" para fusão com a LSE
Negócios 26 de Fevereiro de 2016 às 09:36

Terá sido a Deutsche Börse a lançar uma proposta de fusão à London Stock Exchange. E o "timing" não é inocente, avança o jornal britânico Financial Times, uma vez que procura tirar partido da incerteza que rodeia a "Brexit". É que, assim, a gestora alemã antecipa-se a possíveis ofertas das concorrentes norte-americanas.

Quando a Reuters avançou que as duas gestoras de mercados estariam em conversações, a reacção foi de surpresa. Poucos esperavam que, numa altura de grande incerteza quanto ao futuro financeiro da "City", houvesse um grande negócio a envolver a própria London Stock Exchange. Mas esse foi o precisamente o objectivo.

A Deutsche Börse, gestora da bolsa de Frankfurt, terá aproveitado o cenário incerto para propor o negócio à congénere britânica, antecipando-se, assim, a possíveis ofertas das rivais CME Group and Intercontinental Exchange. A informação é avançada esta sexta-feira, 26 de Fevereiro, pelo Financial Times, que cita uma fonte próxima da operação.

"Estamos a providenciar uma fantástica ponte entre regimes regulatórios e usaremos qualquer que seja o resultado a favor da União Europeia, do Reino Unido e da Alemanha", garantiu a mesma fonte, citada pelo jornal britânico. O negócio, que poderá concretizar-se já na próxima semana, terá uma base de igualdade, sendo criada uma "holding" que deterá ambas as empresas.

Assim, face às actuais capitalizações bolsistas, a Deutsche Börse ficaria com uma posição de 55,98% na nova empresa, ficando os restantes 44,02% na posse da London Stock Exchange. A fusão resultaria numa cotada com uma capitalização bolsista aproximada de 27 mil milhões de euros, uma dimensão semelhante às das concorrentes norte-americanas.

O Financial Times acrescenta ainda que a nova empresa ficaria sediada em Londres. O também jornal britânico The Guardian salienta, por outro lado, que tem havido notícias contraditórias relativamente ao futuro papel de Carsten Kengeter, actual presidente-executivo da Deutsche Börse.

O jornal explica que já lhe foi apontado o cargo de presidente-executivo da nova empresa, mas também o de "chairman". Certo é que as duas empresas partilharão o centro do conselho de administração. Essa foi uma das garantias deixadas na terça-feira, 23 de Fevereiro, quando acabaram por confirmar as negociações em torno da fusão. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub