Bolsa Guerra comercial volta a pressionar Wall Street

Guerra comercial volta a pressionar Wall Street

As bolsas dos EUA iniciaram a sessão em queda, numa altura em que os investidores estão a pesar na negociação os receios em torno da guerra comercial.
Guerra comercial volta a pressionar Wall Street
Reuters
Sara Antunes 04 de setembro de 2018 às 14:36

O Dow Jones está a perder 0,24% para 25.903,30 pontos, o Nasdaq cede 0,18% para 8.095,29 pontos e o S&P500 cai 0,15% para 2.897,09 pontos.

As bolsas dos EUA, que estiveram encerradas na segunda-feira devido ao feriado do Labor Day, iniciaram o mês de Setembro em queda, numa altura em que os receios em torno da guerra comercial continuam a assombrar os mercados.

 

Isto numa altura em que se prevê que os EUA implementem, no final do mês, novas tarifas sobre importações chinesas no valor de 200 mil milhões de dólares. Está a decorrer uma consulta pública, que termina no dia 5 de Setembro, sobre estas tarifas e o presidente dos EUA já terá deixado claro, segundo a Bloomberg, que está preparado para as implementar assim que terminar o período de consulta pública.

 

Desde que a disputa comercial começou, EUA e China já aplicaram tarifas sobre importações avaliadas em 50 mil milhões de dólares.

Já as negociações comerciais entre EUA e Canadá, no âmbito do fim da NAFTA, terminaram a semana passada sem sucesso, prevendo-se que as negociações sejam retomadas esta quarta-feira, 5 de Setembro.

Destaque para as acções do Facebook, que estão a perder mais de 2%, depois de ter uma casa de investimento ter revisto em baixa a recomendação, bem como a avaliação da empresa.

 

A Nike também perde quase 2%, depois de ter escolhido Colin Kaepernick, um ex-jogador da NFL, para uma campanha comemorativa dos 30 anos do lema "Just Do It". Kaepernick, está afastado dos campos há cerca de dois anos, e foi o primeiro atleta a ajoelhar-se quando tocou o hino dos EUA, antes de um jogo, num protesto contra o racismo.


(Notícia actualizada com cotações)




pub