Bolsa O que há entre a Apple e a Amazon? O PIB português

O que há entre a Apple e a Amazon? O PIB português

As duas tecnológicas têm vindo a reforçar o seu estatuto de maiores empresas do mundo. E as valorizações recentes encaminham as empresas para uma capitalização bolsista de um bilião de dólares (838 mil milhões de euros).
O que há entre a Apple e a Amazon? O PIB português
David Gray / Reuters
Raquel Godinho 12 de maio de 2018 às 22:00
A Apple e a Amazon não são apenas as maiores tecnológicas do mundo. São também as maiores empresas do mundo, tendo em contas as capitalizações bolsistas. Mas o que é que está entre elas? O produto interno bruto (PIB) português. A comparação é feita pela agência Reuters e têm em conta as receitas obtidas pelas empresas, este sábado.


A Apple fechou o ano de 2017 com receitas de 229 mil milhões de dólares. Um valor que supera o PIB de vários países como o da Nova Zelândia, mas também o de Portugal. O PIB nacional, de pouco mais de 200 mil milhões de dólares. E, abaixo dele, estão as receitas obtidas, no ano passado, pela gigante do comércio electrónico, de 178 mil milhões de dólares. 


Assim, no gráfico, apresentado pela Reuters, que cita dados das suas plataformas e do Fundo Monetário Internacional (FMI), o PIB nacional surge no meio das duas gigantes tecnológicas, Apple e Amazon. A liderar o "ranking" está o PIB da Finlândia, de cerca de 240 mil milhões de dólares.  


E a dona do iPhone está cada vez mais perto da marca histórica de um bilião de dólares. Na sessão da passada quinta-feira, chegou a valer 934 mil milhões de dólares. Mas a Apple não está sozinha neste caminho e é seguida de muito perto pela Amazon.

A valorização da Apple em bolsa tem sido impulsionada, nas últimas sessões, pelo programa de recompra de acções no valor de 100 mil milhões de dólares e pelo anúncio de que a Berkshire Hathaway, a "holding" de Warren Buffett.  Desde que apresentou os seus resultados trimestrais, a empresa avança perto de 12% e está apenas a 8% da marca do bilião de dólares.


E muitos dos analistas que seguem a empresa atribuem-lhe já um preço-alvo que lhe confere o referido valor de mercado. É o caso do analista Angelo Zino da CFRA que subiu o "target" das acções de 195 dólares para 210 dólares, que significaria uma capitalização bolsista de 1,03 biliões de dólares. Outros 12 analistas conferem avaliações que colocam a cotada acima desta marca. 


O caminho da Apple rumo a esta marca é seguido pela Amazon que tem, neste momento, uma capitalização bolsista em torno de 780 mil milhões de dólares. Se a Apple subiu perto de 24%, nos últimos 12 meses, a Amazon disparou 70%, impulsionada essencialmente pelo crescimento das suas receitas. Assumindo o desempenho histórico das duas empresas, se mantiverem o ritmo do último ano, a Reuters estima que a Apple atinja o bilião de dólares em Setembro e que a Amazon o faça um mês depois.


A terceira maior capitalização bolsista do mundo é ocupada pela Alphabet com um valor de mercado de 765 mil milhões de dólares. Seguem-se a Microsoft e o Facebook. Estas cinco empresas representam actualmente 15% da capitalização bolsista do S&P500 (24 biliões de dólares).



pub