Bolsa SAG pede para deixar de ser cotada

SAG pede para deixar de ser cotada

É a segunda cotada esta quarta-feira a anunciar ao mercado que vai votar a perda da qualidade de sociedade aberta. A Luz Saúde já antes o tinha anunciado.
SAG pede para deixar de ser cotada

A SAG agendou uma assembleia-geral de accionistas extraordinária cujo único ponto da ordem de trabalho é deliberar sobre a perda da qualidade de sociedade aberta, revelou em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). A assembleia-geral foi agendada para 12 de Abril.

"Entende o Conselho de Administração ser do interesse da sociedade e dos accionistas que a sociedade proceda à exclusão da negociação das suas acções do mercado regulamentado, por via da perda da qualidade de sociedade aberta", refere o comunicado.


A empresa é presidida por João Pereira Coutinho, que é actualmente titular, directa e indirectamente, de 80,08% do seu capital social.

Por essa razão, sublinha o comunicado, "há uma clara concentração do capital social da SAG, e dos respectivos direitos de voto, naquele accionista".

 

"Da referida concentração resulta uma reduzida dispersão do capital da SAG, ascendendo atualmente o free float da SAG a 10,04% do capital social desta", acrescenta a dona da Sociedade Importadora de Veículos Automóveis (SIVA), que importa as marcas Audi, Skoda e Volkswagen.

A referida concentração manifesta-se ainda pelo "aparente afastamento dos accionistas minoritários da vida societária e institucional da SAG", refere o comunicado.

 

Segundo o mesmo documento, esse mesmo afastamento traduz-se em vários exemplos, como "a escassa comparência dos accionistas minoritários das Assembleias Gerais da SAG" e o facto de o contacto de accionistas com a SAG, designadamente através do Gabinete de Apoio ao Investidor, ser "esporádico".

 

"Tomando em consideração o exposto, entende o Conselho de Administração ser do interesse da sociedade e dos accionistas que esta proceda à exclusão da negociação das suas acções do mercado regulamentado, por via da perda da qualidade de sociedade aberta", conclui.

A SAG encerrou a sessão desta quarta-feira inalterada face à véspera, nos 0,1645 euros.


(Notícia actualizada às 20:52)




pub