Bolsa Sonae e BCP levam PSI-20 a fechar em máximos de quase um ano e meio

Sonae e BCP levam PSI-20 a fechar em máximos de quase um ano e meio

Além da retalhista e do banco liderado por Nuno Amado - na primeira sessão depois da melhoria de perspectiva da Fitch -, também o sector industrial deu gás à bolsa portuguesa.
Sonae e BCP levam PSI-20 a fechar em máximos de quase um ano e meio
Miguel Baltazar/Negócios
Paulo Zacarias Gomes 19 de junho de 2017 às 16:43

A primeira sessão da semana foi positiva para a praça portuguesa, com o índice nacional a fechar em máximos de quase um ano e meio e a acompanhar os ganhos do resto do Velho Continente.

O PSI-20 terminou esta segunda-feira, 19 de Junho, com a segunda valorização consecutiva (de 1,07% para 5.330,60 pontos), em máximos de 24 de Dezembro de 2015, com 16 títulos em alta, dois em queda e um inalterado, na primeira negociação pós-melhoria da perspectiva da Fitch sobre a dívida portuguesa e depois de o presidente francês ter assegurado a maioria absoluta no parlamento. Apesar de ser o fecho mais elevado em mais de um ano, na análise intra-diária o índice negociou em valores mais elevados nas últimas sessões.


A conduzir as valorizações estiveram os títulos da Sonae (a disparar 4,31% para 0,969 euros), do BCP (ganhou 2,27% para 0,2429 euros) e das industriais Corticeira Amorim, Navigator e Semapa. Do lado das quedas estiveram Mota-Engil (a corrigir 1,73% para 2,606 euros, face às valorizações recentes), além da EDP Renováveis (ligeiros -0,01% para 7,029 euros).


Na sexta-feira a agência de notação Fitch melhorou a sua perspectiva para o "rating" de Portugal – passando a positiva – levando a crer que poderá vir a subir a classificação da dívida soberana lusa, actualmente no primeiro degrau de investimento especulativo. No sector financeiro - mais exposto às condições de financiamento nos mercados internacionais - o Montepio avançou 1,93% para 0,528 euros.

Com o preço do petróleo pouco alterado em Londres e em Nova Iorque, a Galp ganhou 0,55% para 13,66 euros. O maior ganho do índice coube contudo à Ibersol, a subir 5,97% para 15,365 euros, o valor de fecho mais elevado até ao momento e a menos de 14 cêntimos dos 15,5 euros que são o máximo absoluto da acção.

No resto da Europa as negociações foram ainda condicionadas pelo entorno político. O parisiense CAC40 sobe 0,9% para 5.310,72 pontos no rescaldo da segunda volta das legislativas ocorrida ontem e em que o partido do presidente Emmanuel Macron, o La République en Marche, conquistou 350 dos 577 assentos no parlamento. A maioria sólida no hemiciclo dá maiores garantias da implementação de reformas económicas ao executivo Macron.

Nos Estados Unidos o tom é igualmente positivo, com dois dos principais índices a renovarem máximos históricos - o S&P 500 e o industrial Dow Jones. A aproveitar o movimento de subidas está ainda o tecnológico Nasdaq, em recuperação das quedas recentes.

Já o dólar avança depois de na semana passada a Reserva Federal ter aumentado juros nos EUA. Esta segunda-feira o presidente da Fed de Nova Iorque, William Dudley, considerou que a expansão económica do país ainda tem caminho para andar e que a inflação ainda está distante dos objectivos da autoridade monetária. Ainda assim, o responsável espera uma aceleração no ritmo de crescimento dos rendimentos das famílias.

(Notícia actualizada às 16:52 com mais informação)




A sua opinião27
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Muito chato 19.06.2017

Isto sem os ressabiados do BCP não tem qualquer piada. Quá, quá.

SABONETE BANHA COBRA 19.06.2017

Afinal temos ESGUICHE, já comentou e, embora nem sempre esteja de acordo com as suas ideias não deixam no fundo e, na maior parte das vezes de ter a sua lógica ! No que respeita ás SONAES, estamos quase sempre de acordo com o seu potencial e outras com factores estranhos no seu desempenho diário.

GLINTT 19.06.2017

A nossa tecnológica GLINTT vai ser a próxima a duplicar, as campeãs de prejuízos já subiram 120% e a GLINTT que dá lucro e já foi alvo de OPA subiu 21%. Pode ser alvo de outra OPA da Farminveste para a tirar da Bolsa. Mas deviam agora pagar 1€ cada acção. Já valeu 5€ em 2004.

Esguicho 19.06.2017

Boa tarde, caros amigos,em particular Sabonete BC.No final da sessão de sexta-feira ficamos todos bem desiludidos com o aquela "last minute sell off" da Sonae!Mas pondo de parte o aspecto emotivo,o que se passou foi uma forte tomada de mais-valias. Doeu,mas foi apenas isso! Hoje isso foi confirmado!

ver mais comentários
pub