Bolsa "Trader" responsável pelo "flash crash" de 2010 preso em Londres

"Trader" responsável pelo "flash crash" de 2010 preso em Londres

Cinco anos depois da sessão em que o Dow Jones afundou mais de mil pontos, Navinder Singh Sarao é acusado de ter manipulado o mercado com a introdução de uma grande quantidade de ordens de venda de títulos que depois cancelou antes de serem executadas.
A carregar o vídeo ...
Nuno Carregueiro 22 de abril de 2015 às 08:55

As investigações às causas da forte queda dos mercados accionistas norte-americanos numa sessão de Maio de 2010 levaram à detenção, esta terça-feira, 21 de Abril, de um dos alegados responsáveis pelo que ficou conhecido como o "flash crash".

 

Nessa sessão, sem razão aparente, o Dow Jones caiu mais de mil pontos em poucos minutos, provocando perdas de mais de 1 bilião de dólares nos mercados, o que gerou pânico entre muitos investidores. No final do dia tinha recuperado grande parte das perdas.

 

Quase cinco anos depois, a investigação concluiu que um dos responsáveis pelo "flash crash" foi Navinder Singh Sarao, um desconhecido trader que vivia nos subúrbios de Londres, trabalhava por conta própria e nunca terá passado por nenhuma das grandes firmas de Wall Street.

 

O Departamento de Justiça dos EUA acusou Sarao de fraude e manipulação de mercado, sendo que o trader misterioso (como já lhe chama a Bloomberg) foi preso pela Scotland Yard.   

 

Sarao, de 36 anos, é acusado de ter elaborado um programa informático que gerava uma enorme quantidade de ordens de venda de títulos no mercado de futuros, que depois conseguia cancelar antes destas serem executadas. Uma prática ilegal conhecida por "spoofing" e que é concluída com a compra dos mesmos títulos antes destes recuperarem da pressão vendedora que tinha sido criada artificialmente.

 

Contudo, a acusação admite que Sarao não terá sido o único responsável pelo "flash crash" de Maio de 2010. Mas "a sua conduta teve um papel significativo" na queda dos mercados nessa sessão, acredita o Departamento de Justiça dos EUA.

 

Só agora surge a primeira acusação sobre o "flash crash" de 2010, mas há muito que se suspeitava que tinham sido ordens introduzidas por sistemas informáticos a causar o "crash" momentâneo. 




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Nuno Há 6 dias

O Spoofing ilegal ?!?!?!? mas ele é mais que utilizado em n mercados rsrsrrs enfim

Bernardo Há 6 dias

Falta saber como é possível 1 único trader provocar tal queda e não ser possível a firmas mais evoluidas manipular o mercado de forma mais discreta. Se um trader isolado faz isto o que não fará 1 empresa em Wall Street!

Anónimo Há 6 dias

A culpa é sempre do mordomo.

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub