Bolsa Trump anima Wall Street. S&P500 toca novo recorde

Trump anima Wall Street. S&P500 toca novo recorde

A possibilidade de os EUA e o México alcançarem em breve um entendimento sobre o NAFTA está a animar as principais praças norte-americanas. Wall Street abriu em alta, com o índice S&P500 a tocar um novo recorde.
Trump anima Wall Street. S&P500 toca novo recorde
reuters
Rita Atalaia 27 de agosto de 2018 às 14:45

As principais praças norte-americanas abriram em alta, animadas pela possibilidade de os EUA e o México alcançarem esta segunda-feira, 27 de Agosto, um acordo na renegociação do NAFTA. Isto numa altura em que os investidores continuam a digerir o discurso do presidente da Reserva Federal (Fed) dos EUA, que sinalizou confiança na economia e na trajectória prevista para as taxas de juro.

 

Neste contexto, o Dow Jones estava a subir 0,55% para 25.931,35 pontos, enquanto o Nasdaq valorizava 0,59% para 7.993,23 pontos na abertura -- o índice tecnológico alcançou entretanto os 8.000 pontos pela primeira vez. Já o S&P500 arrancou em alta de 0,48% para 2.888,55 pontos, o que representa um novo máximo histórico. Isto depois de ter tocado o valor mais elevado desde Janeiro, na sexta-feira.
 

"Estamos a fazer progressos". Foi assim que o ministro da Economia do México, Ildefonso Guajardo, descreveu as negociações com os EUA para resolverem as diferenças e alcançarem um entendimento.

 

O presidente dos EUA já tinha expressado o seu optimismo em torno deste acordo. Foi no sábado que Donald Trump escreveu no Twitter que a relação entre os dois países "está a tornar-se mais próxima a cada hora" e um acordo de livre comércio, "um grande acordo comercial" entre os dois países "pode acontecer em breve". Os investidores aguardam agora por um comunicado dos dois países ainda esta segunda-feira, 27 de Agosto.

 

A animar os mercados está ainda o discurso de Jerome Powell na sua estreia enquanto presidente da Fed no simpósio de Jackson Hole. O responsável defendeu a subida gradual das taxas de juro na maior economia do mundo, numa altura em que os Estados Unidos continuam a crescer a bom ritmo.

(Notícia atualizada às 15:51 com um novo recorde do Nasdaq)




pub