Bolsa Wall Street com pior arranque do ano desde 1928

Wall Street com pior arranque do ano desde 1928

Foi a pior semana desde 2011 para Wall Street, e o pior arranque do ano, segundo a Bloomberg, desde 1928. As bolsas dos Estados Unidos fecharam esta sexta-feira, 8 de Janeiro, em quedas a rondar 1%, elevando as perdas da semana para 6%.
Wall Street com pior arranque do ano desde 1928
Bloomberg
Alexandra Machado 08 de janeiro de 2016 às 22:11
As bolsas norte-americanas até abriram a sessão desta sexta-feira, 8 de Janeiro, em alta, depois de conhecidos os dados sobre os empregos criados pela economia norte-americana em Dezembro, altura em que foram gerados 292 mil novos postos de trabalho, acima das expectativas da Bloomberg que apontavam para um aumento de cerca de 200 mil empregos.

Animados por esta geração de emprego, Wall Street iniciou a sessão em alta, mas uma pressão vendedora nas últimas horas ditou o encerramento no vermelho.

O índice industrial Dow Jones caiu 1,02%, para 16.346,45 pontos, o que elevou a queda anual para 6,2%. Este ano, nas cinco semanas que transaccionou, este índice perdeu mil pontos. O índice Nasdaq fechou a cair 0,98%, para 4.643,631 pontos, o que eleva a perda semanal aos 7%. Numa semana foram eliminados mais de 300 pontos.

Também o S&P 500 terminou a semana a cair 1,08%, para 1.922,03 pontos, colocando a queda nos cinco dias nos 6%. A queda chega aos 7,3% desde que a 16 de Dezembro a Reserva Federal norte-americana subiu os juros de referência. O índice está assim 9,8% abaixo do recorde conseguido em Maio do ano passado. O S&P 500 bateu o máximo da sessão nos primeiros cinco minutos de negociação, mas fechou perto do seu mínimo histórico. Segundo a Reuters, foi a queda semanal mais profunda em quatro anos, mas foi mesmo o pior arranque semanal de sempre.

A Bloomberg diz mesmo que são os primeiros cinco dias de um ano piores desde que há registos de 1928, um ano antes do "crash" de Wall Street em Outubro de 1929.

E é com este cenário, numa semana em que o Nasdaq caiu todos os dias e o Dow Jones e o S&P 500 só subiram (e ligeiramente) na terça-feira, que as bolsas encerram os primeiros cinco dias do ano. À semelhança da Europa e da China em perda. Foram tanto na Europa como nos Estados Unidos os primeiros cinco dias de arranque de um ano piores desde 2011. 

As quedas nos Estados Unidos foram no final da sessão, com os investidores a temerem o que poderá acontecer, mais, na China que, apesar das medidas tomadas, não conseguiu acalmar os mercados.

A banca foi particularmente penalizada em Wall Street, com JP Morgan e Citigroup a perderem esta sexta-feira mais de 2%, o que coloca as perdas semanais em torno dos 10%. Também as acções ligadas ao sector da energia estão sob pressão, devido aos preços do petróleo, que continuam em queda, estando aos níveis de há 12 anos. O brent, em Londres, perdeu mais 1,16% para 33,36 dólares e o WTI, em Nova Iorque, está nos 32,91 dólares.

A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Curoka 09.01.2016

Crise financeira mundial

curoka 09.01.2016

Dizem janeiro indica o que acontecer todo o ano.

Anónimo 09.01.2016

A disciplina e o melhor remedio para as contas e o bem estar dum estado,ainda e dos nossos tempos recentes que a China era visto como um coitadinho,sacudiu-se dele e tornou-se simplesmente o dono de todo o mundo,sera dificil fazer o mesmo?Nao me refiro a nos(rotos)mas a grandes paises.

Anónimo 08.01.2016

Se a regra vigorar:quem comeca mal,acaba bem.Podemos ter um fim de 2016 em grande.mas os ventos frios numa temperatuar amena para a altura do ano.Eu olho em meu redor mais a centro da Europa e ainda vejo muitas clarezas no emprego,muito desespero pelo fechar de portas,Incognita

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub