OPV dos CTT Presidente dos CTT destaca elevada transacção na estreia da empresa em bolsa

Presidente dos CTT destaca elevada transacção na estreia da empresa em bolsa

Francisco Lacerda, realçou esta quinta-feira que a elevada transacção na primeira sessão de negociação das acções dos CTT demonstram o elevado interesse dos investidores na empresa de correios.
Presidente dos CTT destaca elevada transacção na estreia da empresa em bolsa
Bruno Simão/Negócios
Patrícia Abreu 05 de dezembro de 2013 às 17:55

Num “briefing” com jornalistas para comentar a primeira sessão em bolsa da empresa de correios, o presidente dos CTT destacou que "o elevado volume de transacção reforça a convicção que há interesse nas acções dos CTT".

 

A estreia em bolsa foi marcada por uma forte liquidez, já que foram negociadas 38,8 milhões de acções. Um volume que representa pouco mais de 25% do capital total, 37% das acções vendidas aos investidores (70% do capital) e 41,5% do capital disponível para negociação (excluindo o capital detido pelo Estado, pelos trabalhadores e o lote suplementar).

 

Francisco Lacerda destacou ainda que a banda de variação das acções na sessão parecem apontar para o preço que o mercado fixou na OPV (5,52€).

 

As acções dos CTT fecharam a negociar nos 5,54 euros, dois cêntimos acima do preço a que estrearam em bolsa, mas chegaram a tocar num máximo de 5,95 euros.

 

Questionada sobre quando será tomada uma decisão em relação ao banco postal, Lacerda lembrou que os serviços financeiros são um dos três pilares da actividade dos CTT, reiterando que qualquer decisão apenas será tomada em 2014.

 

"Não será tomada uma decisão final antes de 2014, antes do novo conselho de administração estar em funções, depois da assembleia geral de accionistas".

 

A assembleia geral devera ser convocada até Fevereiro do próximo ano, altura em que será proposta a nova administração. Ainda assim, o ministro da economia, António Pires de lima, adiantou na sessão especial de bolsa que quer manter o actual presidente, apostando na continuidade.

 

 

 

 




Saber mais e Alertas
pub