Research BPI: Petróleo no Alentejo pode dar até 1,10 euros às acções da Galp

BPI: Petróleo no Alentejo pode dar até 1,10 euros às acções da Galp

Confirmando-se as estimativas da Galp e da Eni para o volume potencialmente recuperável de petróleo na bacia do Alentejo, a avaliação da Galp poderá subir até 7% face ao valor de fecho de sexta-feira.
BPI: Petróleo no Alentejo pode dar até 1,10 euros às acções da Galp
Sara Matos
Rita Faria 16 de abril de 2018 às 11:20

O BPI antecipa que a perfuração de petróleo na bacia marítima do Alentejo pode traduzir-se num aumento até 1,10 euros na avaliação da Galp, o que representa um acréscimo de 7% face ao valor de fecho da passada sexta-feira.

O Expresso avançou este fim-de-semana que os estudos do consórcio formado pela Galp e pela Eni indicam que a região terá um volume potencialmente recuperável de petróleo entre 1.000 milhões e 1.500 milhões de barris, recursos equivalentes a 11 a 17 anos de consumo nacional. A mesma publicação adianta ainda que o primeiro furo, a 46 quilómetros de Aljezur, será feito no final do ano.

Numa nota de análise, o BPI refere que "se assumirmos que estes são recursos recuperáveis, um NPV [valor actual líquido] de cinco dólares por barril e uma janela temporal de sete anos, atingimos um acréscimo entre 0,80 e 1,10 euros para as acções da Galp", o que significa uma subida de 5 a 7% face ao valor de fecho de sexta-feira (15,835 euros).

Se, por outro lado, os números mencionados são recursos potenciais e assumirmos uma taxa de recuperação de 60%, o NPV traduzir-se-á num acréscimo entre 0,40 e 0,70 euros às acções, ou um aumento de 3 a 4% face ao valor de fecho da última sessão, acrescentam os analistas.

As acções da Galp fecharam a sessão de sexta-feira a descer 2,10% para 15,835 euros, estando agora a descer 0,32% para 15,785 euros, quase 1,2% acima do preço-alvo de 15,60 atribuído pelo BPI. A recomendação para as acções é "neutral".

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 




A sua opinião12
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Alentejano Há 1 semana

Não à cá petróleo nenhum metam-se para daqui para fora ou vai tudo corrido daqui a tiros de caçadeira! Era o que faltava este bando de alarves virem dar cabo do Alentejo! Levam já o aviso se houver petróleo é para queimar não para exportar ponham as galp e as enis desta vida no ** e podem ir saindo

Anónimo Há 1 semana

Nos últimos tempos, e com maior frequência, têm surgido notícias no mundo automóvel em dois prismas: marcas a estipularem datas para passarem a produzir só modelos híbridos e/ou elétricos, deixando cair a produção de veículos exclusivamente movidos a combustíveis fósseis;
Estamos a ir ao contrário

Anónimo Há 1 semana

"Um tribunal alemão considerou hoje ser legal que uma cidade proíba a circulação de veículos com motores movidos a gasóleo (diesel) especialmente poluentes para combater a poluição atmosférica, sem necessidade de uma lei nacional." Estamos a ir na direcção contrária. Estes politicos são tótós!

Anónimo Há 1 semana

"O parlamento alemão aprovou uma lei que impede a comercialização, no mercado local, de automóveis novos movidos por motores de combustão, a gasolina ou a gasóleo. A partir de 2030." https://observador.pt/2016/10/10/alemanha-vai-banir-carros-a-gasolina-e-gasoleo/
Estamos a ir na direção contrária?

ver mais comentários