Research BPI remove Sonae e Sonae Capital da lista de acções favoritas

BPI remove Sonae e Sonae Capital da lista de acções favoritas

A "core list" do BPI, constituída por 10 cotadas ibéricas, passa a ter apenas duas empresas portuguesas: a Jerónimo Martins e a Nos.
BPI remove Sonae e Sonae Capital da lista de acções favoritas
Ricardo Castelo
Nuno Carregueiro 02 de agosto de 2018 às 11:14

O CaixaBank BPI alterou a composição da sua lista de acções favoritas entre as cotadas ibéricas ("core list"), tendo substituído a Sonae Capital e a Sonae SGPS pela Acerinox e Melia Hotels.

 

A unidade de "research" do banco passou a estar restrita na Sonae SGPS a partir de 23 de Junho, pelo que a recomendação ficou suspensa desde essa data e a cotada removida da lista no início deste mês.

 

Quanto à Sonae Capital, o BPI removeu a cotada porque "depois de ter sido atingido um dos principais objectivos do programa de venda de activos imobiliários", são "mais limitados os ‘triggers’" que a empresa tem pela frente. A empresa ainda liderada por Cláudia Azevedo vendeu em Julho uma parcela da unidade de Tróia (a UNOP3) à Lagune por 20 milhões de euros, numa operação que gerou uma mais-valia de 15,5 milhões.

 

Com a saída da Sonae e da Sonae Capital, a lista de acções favoritas do BPI, que é constituída por 10 cotadas ibéricas, passa a ter apenas duas cotadas portuguesas: a Jerónimo Martins e a Nos. A Sonae Capital tinha entrado na lista em Abril, por troca com a Navigator. A Jerónimo Martins e a Nos entraram ambas a 13 de Junho deste ano, sendo que desde então a retalhista desvaloriza 4,6% e a operadora ganha 5,4%. 

 

O BPI assinala que a Jerónimo Martins transacciona com múltiplos em linha com as pares europeias, quando historicamente apresentava um prémio de 15%. No desempenho operacional destaca o aumento da quota de mercado na Polónia em 2 pontos percentuais e a resistência ao impacto negativo do fecho dos supermercados ao domingo. O preço-alvo é de 17,10 euros.

 

Quanto à Nos (preço-alvo de 6,25 euros), o BPI destaca a perspectiva para a geração de "cash flow" e baixo nível de alavancagem, que deverão permitir pagar um dividendo com uma  rendibilidade próxima dos 10%.

 

Além destas duas cotadas portuguesas, da Acerinox e da Melia Hotels, a "core list" do BPI é constituída pela ACS, Ferrovial, Iberdrola, Inditex, LiberBank e Zardoya Otis.

 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.

 




Saber mais e Alertas
pub