Research CaixaBI antecipa que lucro do CTT desça 8% para 70,9 milhões

CaixaBI antecipa que lucro do CTT desça 8% para 70,9 milhões

Apesar de estimar uma diminuição dos resultados líquidos, os analistas do CaixaBI esperam que 2015 tenha sido um ano positivo para o negócio de correio.
CaixaBI antecipa que lucro do CTT desça 8% para 70,9 milhões
Miguel Baltazar/Negócios
Rui Barroso 07 de março de 2016 às 18:29

O lucro dos CTT deverá situar-se nos 70,9 milhões de euros em 2015, uma quebra de 8,1% face ao ano anterior, segundo as estimativas do CaixaBI. A justificar a descida estará, segundo os analistas Artur Amaro e André Rodrigues, o valor investido para a operacionalização do Banco CTT.

"2015 foi um bom ano para os CTT no que diz respeito ao negócio de correio, com o resultado líquido um pouco pressionado pelo novo projecto bancário da empresa", referem os analistas numa nota de investimento a que o Negócios teve acesso. Mas, numa análise mais geral, esperam "um conjunto de resultados neutral para os CTT, nomeadamente para o seu negócio 'core' com os volumes de correio endereçado a caírem, em termos homólogos, 4,5% no quarto trimestre", acrescentam.

O CaixaBI estima que as receitas em 2015 tenham sido de 720,3 milhões de euros, uma subida de 0,2%, "com todos os segmentos a mostrarem um desempenho resiliente em relação ao ano anterior". Já para os resultados antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (EBITDA) o CaixaBI prevê uma quebra de 32% para 133,1 milhões de euros. No entanto, o EBITDA recorrente deverá ter aumentado 4% para 140,4 milhões de euros.

Os analistas do CaixaBI aconselham os investidores a estarem atentos aos dados do "opex" (gastos operacionais) do Banco CTT. "Esperamos que o 'opex' suba para 146,6 milhões de euros no quarto trimestre, nomeadamente devido à política de contratação do Banco CTT", referem os analistas do Caixa BI. Acrescentam que o "mercado dará especial atenção à evolução do 'opex' do Banco CTT, que deverá continuar a penalizar as margens do EBITDA nos próximos trimestres".

A empresa liderada por Francisco Lacerda apresenta as contas anuais a 15 de Março. As acções avançaram, esta segunda-feira, 0,43% para 7,636 euros. Mas perdem 13,76% desde o início do ano.

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
antonio mendes 07.03.2016

MAIS UMA A CAIR AMANHA,

pub
pub
pub
pub