Research CaixaBI sobe recomendação da EDPR para "comprar" após resultados

CaixaBI sobe recomendação da EDPR para "comprar" após resultados

Os números divulgados pela EDPR relativos a 2015 agradaram ao CaixaBI. O banco de investimento decidiu subir a recomendação para "comprar", mantendo o preço-alvo inalterado em 7,70 euros.
CaixaBI sobe recomendação da EDPR para "comprar" após resultados
Miguel Baltazar/Negócios
Patrícia Abreu 25 de fevereiro de 2016 às 10:21

O CaixaBI decidiu melhorar a sua recomendação para as acções da EDP Renováveis, passando a aconselhar "comprar" as acções da companhia, após "bons" resultados. O banco de investimento realça que a empresa "continua a demonstrar grande capacidade para atingir os objectivos a que se propõe e apresenta elevada visibilidade sobre as suas opções de crescimento".


A EDPR apresentou um conjunto de resultados que agradou ao banco de investimento da CGD, que destaca "crescimentos de dois dígitos tanto ao nível das receitas como do lucro". O CaixaBI melhorou a sua recomendação para as acções da empresa de "acumular" para "comprar", mantendo o preço-alvo inalterado em 7,70 euros.


A empresa liderada por Manso Neto (na foto) fechou 2015 com um resultado líquido de 167 milhões de euros, mais 32% do que no período homólogo. De acordo com um comunicado publicado na CMVM, o EBITDA subiu 26% para 1.142 milhões de euros e as receitas aumentaram 21% para 1.547 milhões de euros. A companhia adiantou ainda que vai propor um aumento da remuneração accionista para cinco cêntimos por acção, face aos quatro cêntimos anteriores.


Numa nota onde comentou os números apresentados pela empresa, a analista Helena Barbosa refere que a cotada "continua a demonstrar grande capacidade para atingir os objectivos a que se propõe e apresenta elevada visibilidade sobre as suas opções de crescimento".


O banco de investimento acrescenta ainda que a equipa de gestão da EDPR destacou, na "conference cal" com os analistas, que antecipa um ano positivo para prosseguir o seu plano de negócios. De acordo com a empresa, o programa de rotação de activos foi antecipado dois anos com a meta inicial excedida (800 milhões face aos 700 milhões antecipados).


O CaixaBI realça ainda que os "projectos com acordos de longo prazo já assegurados nos Estados Unidos, Europa e outros mercados emergentes, permitem a execução de 1,3 Gw para serem instalados em 2016-2017", um valor que está acima das metas incluídas no plano de negócios para o período de 2014-2017.


A companhia deverá apresentar maiores detalhes do seu plano de negócios no dia do investidor do Grupo EDP, que decorre no próximo mês de Maio. 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
enéas 25.02.2016

A empresa mais bem gerida do PSI. Parabéns à Ana Fernandes e ao Manso Neto.

pub
pub
pub
pub