Research JM dispara mais de 4% para máximos de quase seis meses após subida das receitas

JM dispara mais de 4% para máximos de quase seis meses após subida das receitas

As acções seguem em máximos de Julho de 2017, depois de a empresa ter revelado uma subida das vendas que ficou acima do esperado pelos analistas.
JM dispara mais de 4% para máximos de quase seis meses após subida das receitas
Ricardo Castelo
Rita Faria 12 de janeiro de 2018 às 12:12

As acções da Jerónimo Martins estão a registar fortes ganhos na praça de Lisboa, a beneficiar da subida das receitas em 2017 divulgada ontem, após o fecho do mercado.

Os títulos ganham 4,56% para 17,33 euros, depois de terem chegado a valorizar 4,77% para 17,365 euros, o valor mais elevado desde 26 de Julho do ano passado. Até ao momento, já trocaram de mãos mais de 736 mil acções da retalhista, um valor superior ao volume médio transaccionado por dia, nos últimos seis meses (681 mil).

Ontem, a empresa revelou que as suas vendas, em 2017, ascenderam a 16,27 mil milhões de euros, mais 11,3% do que um ano antes. Considerando apenas o último trimestre do ano, as receitas subiram 12%, em termos homólogos para 4,35 mil milhões.

Os números do quarto trimestre ficaram 2% acima das expectativas do BPI que, numa nota de análise, destaca que a empresa liderada por Pedro Soares dos Santos "reportou uma subida mais forte do que o esperado do LfL na Polónia e em Portugal enquanto o desempenho da Ara ficou abaixo das estimativas".

No que respeita à polaca Biedronka, os analistas referem que a marca assistiu a uma subida das vendas de 13,5% no trimestre, 1,9% acima das estimativas, enquanto o Pingo Doce apresentou um aumento de 2,9% do LfL (vendas comparáveis), o que compara com a projecção do BPI de 1%.

"A Jerónimo Martins reportou uma forte evolução do LfL na Polónia e isso deve ser percebido positivamente pelo mercado", afirmam os analistas, acrescentando que vêem margem para rever em alta as suas projecções para os lucros por acção em 2 a 3%, depois da recente valorização da moeda polaca.

Também o CaixaBI destaca que os dados divulgados "confirmaram o momento positivo da JM ao nível do crescimento de vendas, com destaque para a solidez dos números na Biedronka (Polónia)".

 

A Jerónimo Martins vai divulgar os resultados consolidados do exercício de 2017 no próximo dia 28 de Fevereiro.

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.




pub