Research Kepler corta preço-alvo da Jerónimo Martins e melhora recomendação

Kepler corta preço-alvo da Jerónimo Martins e melhora recomendação

O novo preço-alvo está em linha com a cotação actual da Jerónimo Martins.
Kepler corta preço-alvo da Jerónimo Martins e melhora recomendação
Ricardo Castelo
Negócios com Bloomberg 04 de julho de 2018 às 10:14

A Kepler Cheuvreux reduziu o preço-alvo e as estimativas da Jerónimo Martins, tendo contudo melhorado a recomendação de "reduzir" para "manter".

 

De acordo com a Bloomberg, o preço-alvo desceu de 14,40 euros para 12 euros. A estimativa para o EBITDA desceu entre 3 a 4% ao ano e a previsão para os resultados líquidos foi cortada entre 5 a 7% por ano.

 

O banco de investimento assinala que os resultados do segundo trimestre, que serão anunciados a 25 de Julho, deverão ficar marcados por uma "desaceleração pronunciada" no desempenho das receitas. Na base desta previsão está o efeito do fecho dos supermercados no domingo na Polónia, nem como o impacto negativo das flutuações cambiais.

 

As acções da retalhista têm registado um desempenho negativo nas últimas semanas e em 2018 recuam 26%. Desde o pico de Fevereiro até ao fecho da última sessão, o tombo supera os 32%, afastando-se dos 17,705 euros para passar a negociar nos actuais 11,96 euros. Nas últimas semanas, a retalhista tem vindo a atingir mínimos de Fevereiro de 2016, com sucessivas quebras. 

 

De acordo com a Bloomberg, entre os analistas que seguem a Jerónimo Martins, 13 recomendam comprar as acções, 12 manter e três vender.

 

Esta quarta-feira as acções da Jerónimo Martins recuperam 1% para 12,08 euros, uma cotação que está em linha com a nova avaliação da Kepler. 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.




Saber mais e Alertas
pub