Crédito Há freguesias de Lisboa e Porto onde os preços das casas sobem mais de 30%

Há freguesias de Lisboa e Porto onde os preços das casas sobem mais de 30%

Marvila continua a ser a única das freguesias de Lisboa onde os preços das casas caem. No Porto, não se registaram descidas de preços.
Raquel Godinho 31 de julho de 2018 às 13:06

Em três freguesias de Lisboa e uma do Porto os preços das casas subiram mais de 30%, no primeiro trimestre deste ano, revelam os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). A tendência quase generalizada continua a ser de aumento dos valores de venda, com excepção de Marvila, onde os preços voltaram a desvalorizar.

Lisboa e Porto viram os preços de venda das casas aumentarem mais de 20%, entre Janeiro e Março, face ao mesmo período do ano passado. E, dentro destas cidades, algumas freguesias registaram crescimentos superiores a 30%. No Porto, na União de Freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória, o valor mediano da venda subiu 45,2% para 1.636 euros por metro quadrado.

Foi a subida mais expressiva entre todas as freguesias de Lisboa e Porto. Já em Lisboa, a freguesia de Santo António viu os preços aumentarem 39,8% para 4.083 euros por metro quadrado. Já em Campolide os valores de venda cresceram 32,5% para 2.469 euros por metro quadrado e em Campo de Ourique subiram 30,4% para 2.965 euros por metro quadrado.


Na capital, a freguesia de Santo António é precisamente aquela onde os preços são mais elevados, seguindo-se Misericórdia (3.667 euros por metro quadrado) e Santa Maria Maior (3.528 euros por metro quadrado).


"No primeiro trimestre de 2018, três das 24 freguesias da cidade de Lisboa registaram preços medianos de venda de alojamentos superiores a 3.500 euros por metro quadrado: Santo António – que inclui a Avenida da Liberdade e áreas adjacentes –, Misericórdia (3.667 euros por metro quadrado) – que inclui a área do Bairro Alto e do Cais do Sodré – e, adicionalmente, face ao trimestre anterior, a freguesia de Santa Maria Maior (3.528 euros por metro quadrado) – que inclui a área do Castelo e Baixa/Chiado", refere o comunicado do INE.


Marvila, Beato, Santa Clara, Lumiar, Areeiro e Carnide foram as freguesias que, no primeiro trimestre, registaram preços medianos e taxas de variação face ao período homólogo inferiores aos da cidade de Lisboa (subiram 20,4% para 2.581 euros por metro quadrado). Marvila foi mesmo a única freguesia onde os preços caíram (-12,4% face ao período homologo), tendo registado também o preço mais baixo (1.483 euros por metro quadrado).

Quanto ao Porto, a União de freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória, destacou-se entre as sete freguesias da cidade por apresentar, ao mesmo tempo, um preço mediano de venda acima do valor da cidade (1.379 euros por metro quadrado) e uma taxa de variação face ao período homólogo superior à verificada na cidade (22,7%). Como já referido anteriormente, nesta freguesia do centro histórico da cidade, os preços aumentaram 45,2% para os 1.636 euros por metro quadrado.


Já na freguesia de Paranhos o preço cresceu 24,3% para os 1.270 euros por metro quadrado, enquanto na União de freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde e em Ramalde os preços cresceram 20,2% e 16,2% para 2.051 euros por metro quadrado e 1.249 euros por metro quadrado. "No período em análise, a freguesia da Campanhã registou o menor preço mediano de alojamentos vendidos (801 euros por metro quadrado ) e a menor variação homóloga (+0,9%), entre as freguesias da cidade do Porto", conclui o INE.




Saber mais e Alertas
pub