Crédito Taxa de juro dos créditos em queda há 20 meses

Taxa de juro dos créditos em queda há 20 meses

Desde Agosto de 2014 que a taxa de juro implícita do total de créditos à habitação está em queda. E, nos empréstimos recentes, depois da ligeira subida registada em Fevereiro, a taxa voltou a cair em Março.
Taxa de juro dos créditos em queda há 20 meses
Miguel Baltazar/Negócios
Raquel Godinho 22 de abril de 2016 às 12:24

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação passou de 1,181%, em Fevereiro, para 1,163%, em Março, revelou o Instituto Nacional de Estatística (INE), esta sexta-feira. Com este desempenho, a taxa completou 20 meses consecutivos em queda. E, nos empréstimos celebrados nos últimos três meses, a taxa cedeu para os 2,133% face aos 2,185% fixados um mês antes.


"No destino de financiamento aquisição de habitação, o mais relevante no crédito à habitação, a taxa de juro implícita no conjunto de contratos fixou-se em 1,173%", o que compara com os 1,192% observados um mês antes, explica o comunicado do INE.


Este recuo das taxas tem permitido uma queda na componente dos juros pagos aos bancos e, como tal, as famílias têm conseguido amortizar cada vez mais capital em dívida. Nesse sentido, a prestação média manteve-se nos 239 euros, o mesmo valor registado em Fevereiro, sendo que a componente juros diminuiu euro para 50 euros e a componente amortização registou um acréscimo de igual valor (um euro) para 189 euros. Deste modo, o capital médio em dívida diminuiu em 87 euros para 51.931 euros.


"Nos contratos celebrados nos últimos 3 meses, o valor médio da prestação registado em Março foi 311 euros (313 euros no mês anterior)", acrescenta o INE. Neste caso, o capital médio em dívida aumentou dos 85.549 euros fixados em Fevereiro para 85.773 euros.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 22.04.2016

E para quando Euribor negativa reflectida no crédito? Falaram nisso mas os Costas calaram-se.

pub
pub
pub
pub