Bolsa 2006: OPV da Galp, o "jackpot" da bolsa portuguesa

2006: OPV da Galp, o "jackpot" da bolsa portuguesa

Os investidores que compraram acções na OPV da Galp registaram mais-valias expressivas. Petrolífera mais que duplica de valor desde a sua estreia na bolsa portuguesa, em Outubro de 2006.
2006: OPV da Galp,  o "jackpot" da  bolsa portuguesa
Miguel Baltazar
Patrícia Abreu 30 de maio de 2017 às 21:40
A palavra crise ainda não fazia parte do vocabulário dos investidores quando o Executivo de José Sócrates decidiu avançar com a dispersão de 23% do capital da Galp Energia.

Com a bolsa a atravessar um bom momento, a OPV da petrolífera portuguesa foi acompanhada com grande entusiasmo por parte dos investidores nacionais. No total, foram mais de 100 mil os investidores que participaram na operação e tentaram ficar com uma fatia do capital da companhia, cujas acções foram vendidas a 5,81 euros. 

Depois de uma OPV muito concorrida, onde a procura ultrapassou em mais de 20 vezes a oferta, as novas acções da Galp estrearam-se na bolsa de Lisboa a valer 5,91 euros. No mesmo dia superaram os seis euros e em Dezembro de 2007, quando os mercados mundiais já tremiam com os primeiros sinais da crise do "subprime", a petrolífera tocava máximos nos 19,50 euros, suportada pelas descobertas no Tupi.

Nestes dez anos e meio em bolsa, a empresa regista uma valorização de 138%. Um retorno que sobe quando somados os dividendos pagos pela companhia desde a estreia no mercado de capitais: 3,13 euros brutos por acção. Um percuso invejável que, segundo os analistas, poderá estar longe de terminado.

A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub