Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

A semana começa com um feriado na Alemanha. A bolsa estará encerrada, mas as atenções dos investidores continuarão voltadas para o Deutsche Bank. O Congresso do Partido Conservador no Reino Unido também estará em destaque.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Negócios 03 de Outubro de 2016 às 07:48
Bolsa alemã fechada mas Deutsche Bank continuará em foco
Esta segunda-feira assinala-se o Dia da Unidade Alemã. E, devido ao feriado nacional, a bolsa estará encerrada. Sendo um dos mercados mais relevantes do Velho Continente, alguns investidores poderão estar fora do mercado no arranque desta semana. Ainda assim, as atenções dos investidores continuarão voltadas para o Deutsche Bank. Na sexta-feira, surgiram notícias de que o banco poderia estar perto de um acordo com os EUA para pagar uma multa de 5,4 mil milhões de dólares, bastante inferior aos 14 mil milhões de dólares inicialmente avançados. E, no fim-de-semana, os media alemães afastaram a possibilidade de um resgate. Estas notícias acalmaram a tensão em torno do banco, mas o tema continua a ser sensível e os mercados vão negociar ao ritmo das novidades que forem surgindo.


Conferência do Partido Conservador com Brexit em destaque

Arrancou, este domingo, a Conferência Anual do Partido Conservador britânico, evento que decorre até à próxima quinta-feira. Na abertura da conferência, a primeira-ministra, Theresa May, fez o primeiro grande discurso sobre a saída do Reino Unido da União Europeia. Isto no mesmo dia em que, em entrevista à BBC, apresentou pela primeira vez um calendário concreto quanto às futuras negociações para a saída do Reino Unido da União Europeia. A chefe do Governo do Reino Unido anunciou que o país vai accionar o artigo 50 do Tratado de Lisboa, sobre a saída de um país da União Europeia, até Março do próximo ano. Para esta segunda-feira, estão previstos os discursos do ministro das Finanças, Philip Hammond, e do ministro do Comércio, Liam Fox, um dos ministros envolvidos nas negociações do Brexit.



Dados mensais sobre as compras do BCE

Os investidores estarão ainda atentos, no arranque da primeira semana de Outubro, à publicação dos dados mensais e semanais relativos ao programa de compra de activos do Banco Central Europeu (BCE). Estes dados são particularmente importantes até porque surgem um mês depois de Mario Draghi ter surpreendido o mercado ao decidir não alterar as regras do programa. Nos últimos meses, o ritmo das aquisições de obrigações nacionais tem diminuído, o que, de acordo com alguns analistas, pode ser um sinal de que o banco central pode ter pouca margem de manobra para adquirir dívida portuguesa, à luz das actuais regras do programa.



Indicadores económicos nos Estados Unidos

A primeira sessão da semana será ainda marcada pela publicação de vários dados económicos do outro lado do Atlântico. Números que ganham ainda mais relevância numa altura em que se discute o “timing” da próxima subida de juros nos Estados Unidos. O indicador mais relevante conhecido, esta segunda-feira, diz respeito à actividade industrial, em Setembro. As previsões dos economistas consultados pela Bloomberg apontam para que a actividade industrial tenha estagnado, depois de ter contraído no mês anterior. Serão ainda conhecidos o índice PMI para a indústria, em Setembro, e os gastos na construção, em Agosto.

  

Novidades políticas em Espanha

Politicamente, o fim-de-semana ficou marcado pela demissão de Pedro Sánchez da liderança do PSOE. O ex-líder do partido socialista espanhol enfrentava duras críticas por não ter conseguido reunir as forças necessárias para formar um Governo alternativo ao do PP. Mas também por não ter permitido que o Executivo de Mariano Rajoy fosse investido. E, no sábado, as suas propostas de realização de eleições primárias e um congresso extraordinário, acabaram por ser chumbadas no Comité Federal, levando à sua demissão. Foi definida uma comissão gestora que vai dirigir o partido até que seja eleito um novo líder. A primeira reunião deste órgão é já esta segunda-feira. O tema mais premente é o da investidura de Rajoy, numa altura em que Espanha continua com um Executivo de gestão. Os investidores continuarão atentos a qualquer novidade que lhes possibilite antecipar qual será o rumo político do país vizinho.




pub
pub
pub
pub