Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Num dia em que os investidores não se têm que preocupar com a divulgação de dados económicos e declarações de responsáveis de bancos centrais, a evolução da cotação do petróleo deverá continuar a marcar o dia nos mercados. No final do dia arranca a época de resultados do terceiro trimestre nos EUA.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Nuno Carregueiro 11 de Outubro de 2016 às 07:30
Atenção ao petróleo
A direcção das cotações do petróleo tem sido determinante para o rumo das bolsas. Ontem voltou a ser assim. O petróleo atingiu o valor mais elevado do ano e as acções reagiram em alta. A matéria-prima foi sustentada por declarações que apontam para um acordo entre os países da OPEP e a Rússia para cortar a produção, pelo que o "ouro negro" deverá continuar a oscilar ao ritmo das declarações dos responsáveis políticos dos países árabes e de outras nações produtoras de petróleo.


"Earning season" está aí

É um clássico em Wall Street. Os resultados da Alcoa são olhados com atenção redobrada, uma vez que estreiam a "earning season" do terceiro trimestre e representam um importante barómetro sobre a actividade das companhias norte-americanas. A fabricante de alumínio divulga as contas antes do fecho da sessão, sendo que as perspectivas para os resultados do conjunto das cotadas não é muito animador. De acordo com o Financial Times, o lucro das empresas do S&P500 terá recuado pelo quinto trimestre consecutivo. Na sexta-feira será a vez da banca começar a apresentar as contas. Serão conhecidos os números do Citigroup, JPMorgan e do Wells Fargo.



Banco de Portugal divulga dados do malparado
O Banco de Portugal divulga a evolução do crédito malparado em Agosto e a concessão de crédito por parte das instituições financeiras nacionais. Estes números surgem num momento em que o Governo está focado em resolver os problemas na banca, sendo que o crédito de má qualidade é uma das principais preocupações. Em declarações à Bloomberg, o ministro das Finanças afirmou que o Governo está a preparar um amplo pacote legislativo para o crédito malparado, que "vai permitir aos bancos retirar maior valor da reestruturação dos seus empréstimos". 


Fed na Austrália e Zew na Alemanha
Esta terça-feira será um dia bem tranquilo na divulgação de indicadores económicos, destacando-se apenas o Zew na Alemanha, que mede a confiança dos investidores na maior economia da Europa. Na frente dos bancos a centrais apenas fala Charles Evans, da Reserva Federal de Chicago, num evento que decorre na Austrália.   


CTT, Apple e Twitter mexem na bolsa
Na bolsa nacional já foi a estrela, mas agora é destaque por motivos menos positivos. A dois meses de completar três anos na bolsa de Lisboa, os CTT quebraram o valor a que as acções foram vendidas na operação pública de venda (OPV), abaixo dos 5,52 euros, pelo que continuarão em foco na praça nacional. Lá fora o Twitter também está na mó de baixo (ontem as acções desceram mais 11% devido ao pouco interesse da compra da rede social), enquanto a Apple segue em sentido inverso. A fabricante do iPhone aproveita a boleia dos problemas da rival Samsung e está a negociar em máximos do ano. 

(notícia corrigida para dar conta que resultados da Alcoa vão ser apresentados antes da abertura)



pub