Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Em Portugal, são quatro as cotadas que dão a conhecer as suas contas. No resto da Europa, será a banca que estará em destaque, ao passo que nos EUA serão as tecnológicas depois de o Facebook ter divulgado os seus números. Em Wall Street, as atenções vão estar também centradas nas eleições norte-americanas e na Fed, que decidiu não mexer nos juros. Ainda em matéria de política monetária, o Banco de Inglaterra anuncia hoje a sua decisão. E o petróleo continuará a jorrar vermelho?
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Carla Pedro 03 de Novembro de 2016 às 07:30
Resultados animam dia em Portugal

Por cá, hoje é um dia fértil na apresentação de resultados, estando prevista a divulgação das contas da EDP, EDP Renováveis, Altri e Cofina. Algumas delas serão reportadas antes da abertura da bolsa, pelo que terão reflexo na evolução das cotações no PSI-20 ao longo de toda a sessão.

A eléctrica liderada por António Mexia apresenta os seus números numa altura em que a Autoridade da Concorrência entende haver indícios de práticas restritivas da concorrência que justificam a abertura de uma investigação contra-ordenacional à EDP. O Haitong diz que o impacto é "potencialmente negativo".

Quanto à EDP Renováveis, o CaixaBI estima uma queda de 63% dos lucros nos primeiros nove meses do ano, para 37 milhões de euros, contra 100 milhões registados em 2015. Já o Haitong antecipa, para o mesmo período, um resultado líquido de 36 milhões de euros (uma queda homóloga de 64%) para a empresa liderada por Manso Neto.



E banca em evidência na Europa

No resto da Europa, a banca sobressairá na divulgação de contas, com o Credit Suisse, Société Génerale e ING a apresentarem os seus números dos primeiros nove meses do ano. Fora do sector financeiro, destaque igualmente para as contas da alemã Adidas. Também nos EUA haverá mais resultados esta quinta-feira, com especial ênfase nos relatórios da Starbucks e Kraft Heinz, e na Ásia os olhos vão virar-se para a chinesa Lenovo.



Petróleo continua em foco 

O mercado estará atento à evolução das cotações do chamado "ouro negro", que tem estado a perder terreno, penalizado pelos receios de que os membros da OPEP não consigam chegar a acordo quanto às novas quotas de produção e também devido a um aumento das reservas norte-americanas de crude – isto num contexto de excedente da oferta mundial. Também esta quinta-feira as atenções estarão viradas para uma conferência em Londres que vai debruçar-se sobre o que significa o Brexit para a energia. Ainda nas matérias-primas, o ouro poderá continuar a ganhar terreno, beneficiando do seu estatuto de valor-refúgio, devido à derrapagem nas bolsas numa altura de forte incerteza em torno do resultado das eleições presidenciais nos Estados Unidos. 



Fed, eleições e Facebook marcam evolução de Wall Street

A Reserva Federal norte-americana decidiu, como se esperava, não mexer nas taxas de juro directoras, mas anunciou que mantém esse objectivo na mira. Os mercados do outro lado do Atlântico vão continuar a reagir a estas declarações, numa altura em que os investidores estão também a optar por maior prudência em vésperas das eleições presidenciais nos EUA. Além disso, a rede social Facebook apresentou os resultados do terceiro trimestre, na quarta-feira após o fecho das bolsas, pelo que a cotada irá estar hoje a reagir em bolsa a esses números – com as receitas a atingirem recordes –, o que deverá ditar a tendência no sector tecnológico.

   

Banco de Inglaterra anuncia decisão de política monetária

O Banco de Inglaterra anunciará a sua decisão de política monetária, não se atevendo mexidas nos juros. Recorde-se que na passada segunda-feira, 31 de Outubro, Mark Carney confirmou que pretende estender, por um ano, o seu mandato como governador do banco central do Reino Unido. Ficará assim até Junho de 2019 para ajudar a suavizar os efeitos do Brexit na economia britânica.

No resto do Velho Continente, há dados que vão estar também no centro das atenções dos mercados no dia de hoje: o desemprego (Agosto) na Zona Euro e o comércio a retalho (Setembro) na União Europeia.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Idalee Há 3 dias

Created the greatest arciltes, you have.

Krisalyn Há 3 dias

Inootmarifn is power and now I'm a !@#$ing dictator.

pub