Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Esta quarta-feira, Itália vai continuar a centrar as atenções dos mercados e o Banco de Inglaterra apresenta os resultados dos testes de stress dos bancos britânicos. O petróleo vai evoluir ao sabor das informações que vierem da OPEP e, por cá, o INE divulga as contas nacionais referentes ao terceiro trimestre e as estimativas mensais do emprego relativas a Outubro.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Carla Pedro 30 de Novembro de 2016 às 07:30
Mercado petrolífero à espera da OPEP

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) realiza uma reunião ministerial, em Viena, para tentar finalizar os termos do acordo dos seus 14 membros, firmado a 28 de Setembro, no sentido de reduzir a produção do cartel num contexto de forte excedente da oferta. Os investidores continuarão atentos à evolução dos preços, que têm estado a reflectir a expectativa e incerteza em torno da concretização desse corte de produção. Além disso, a Administração de Informação em Energia – sob a tutela do Departamento norte-americano da Energia – divulga os seus dados relativos aos inventários semanais de crude, gasóleo e gasolina nos EUA. 



Investidores seguem dados económicos

Há mais indicadores económicos a serem divulgados esta quarta-feira. Por cá, o INE divulga as contas nacionais referentes ao terceiro trimestre. Serão também conhecidas as estimativas mensais do emprego relativas a Outubro.


No resto da Europa, destaque para o desemprego de Novembro na Alemanha e para a estimativa rápida da inflação na Zona Euro em Novembro - o último dado sobre a evolução dos preços antes da reunião do BCE, a 8 de Dezembro. Os economistas do RBC Capital Markets não antecipam uma grande aceleração da inflação, o que poderá levar o banco central a anunciar um reforço dos estímulos na próxima reunião. Nos EUA, conheceremos os dados dos contratos de compra e venda de casas em Outubro, bem como o Livro Bege da Fed.


Do lado empresarial, continuam a ser divulgados alguns resultados, nesta recta final de apresentação das contas trimestrais em todo o mundo. No dia de hoje, o destaque vai para o Royal Bank of Canada e Synopsys. 



Estado da economia em debate

Vários responsáveis de política monetária irão discursar esta quarta-feira. O presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, vai falar em Madrid, às 12:30 de Lisboa. Nos EUA, haverá um discurso no Economic Club of New York por parte do presidente da Fed de Dallas, Robert Kaplan. Já Loretta Mester, presidente da Fed de Cleveland, falará na Câmara de Comércio Afro-Americana do Oeste da Pensilvânia. Ao final do dia, será divulgado o Livro Bege da Fed. 



Banco de Inglaterra divulga resultados dos testes de stress

O Banco de Inglaterra publicou, às 7h da manhã, os resultados dos seus testes de stress anuais à banca, tendo também divulgado o seu Relatório de Estabilidade Financeira – com indicação dos riscos para o sistema bancário britânico. Segue-se agora uma conferência de imprensa por parte do governador do banco central, Mark Carney, para comentar ambos os relatórios. Os mercados vão abrir a reagir aos dados apresentados.



Itália continua a centrar atenções dos mercados

Continua a pesar nos mercados o cenário de incerteza relativamente ao referendo que vai ser realizado em Itália no próximo domingo, 4 de Dezembro, e que visa aprovar a reforma constitucional proposta pelo primeiro-ministro Matteo Renzi. Se esta reforma for rejeitada, os analistas apontam para que as obrigações italianas e os títulos dos seus bancos sofram grande instabilidade – além da instabilidade política que daí advirá, uma vez que Renzi avisou que se demitirá se o "não" ganhar. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub