Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Esta quinta-feira, os investidores vão continuar atentos ao petróleo, que está na véspera atingiu máximos de Fevereiro, impulsionado pelo acordo de corte da produção pela OPEP. Os relatórios das vendas em Novembro das fabricantes automóveis norte-americanas estarão também no centro das atenções.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Carla Pedro 01 de Dezembro de 2016 às 07:30
Mercado petrolífero a digerir corte da OPEP

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) decidiu ontem, em Viena, cortar em 1,2 milhões de barris por dia a sua produção de crude. A efectivação do compromisso assumido a 28 de Setembro deixou os mercados eufóricos, com a matéria-prima a disparar mais de 8% em Londres e Nova Iorque, para níveis que não se viam desde Fevereiro. Esta quinta-feira, os investidores vão continuar a digerir a notícia e os analistas esperam que o "ouro negro" continue a valorizar nos mercados internacionais. Por outro lado, a Administração de Informação em Energia – sob a tutela do Departamento norte-americano da Energia – divulga os seus dados relativos aos inventários semanais de gás natural. 



Investidores seguem dados económicos na Europa e EUA

Hoje há mais indicadores económicos de relevo para os investidores medirem o pulso às economias. No Velho Continente serão divulgados dois dados para a Zona Euro: o desemprego e o índice PMI para a indústria em Novembro. Serão também conhecidos os valores do índice PMI para a indústria no Reino Unido (Novembro). Nos Estados Unidos, teremos os números dos pedidos de subsídio de desemprego na semana passada e a actividade industrial em Novembro. 



Membros da Fed debatem economia e política monetária

Vários responsáveis pela política monetária da Reserva Federal norte-americana irão discursar esta quinta-feira. O presidente da Fed de Dallas, Robert Kaplan, falará no Fórum de Empreendedorismo da Universidade St. Mary, em San Antonio (Texas). Já Loretta Mester, presidente da Fed de Cleveland, abrirá a Conferência sobre Estabilidade Financeira que se realiza em Washington. Na quarta-feira foi divulgado o Livro Bege da Fed, que contabiliza os dados dos 12 distritos federais, tendo sublinhado que entre inícios de Outubro e 18 de Novembro a economia americana continuou a expandir-se, com pouca inflação e um aumento das vendas no retalho.



Fabricantes automóveis dos EUA apresentam vendas

Do outro lado do Atlântico, vão estar no centro das atenções os relatórios das fabricantes automóveis relativos às suas vendas de Novembro. Os dados irão revelar se a Black Friday (do passado dia 25) conseguiu potenciar as vendas de modo a que este seja mais um ano recorde. A Ford Motor deverá ser a primeira a divulgar os seus números, seguindo-se a General Motors. 



Itália, sim ou não?

O cenário de incerteza relativamente ao referendo que vai ser realizado em Itália no próximo domingo, 4 de Dezembro, e que visa aprovar a reforma constitucional proposta pelo primeiro-ministro Matteo Renzi, continua a agitar os mercados. Se esta reforma for rejeitada, os analistas apontam para que as obrigações italianas e os títulos dos seus bancos sejam alvo de grande volatilidade – além da instabilidade política que daí advirá, uma vez que Renzi avisou que se demitirá se o "não" ganhar. Se houver uma vitória do "não", como apontam as sondagens, irá desencadear-se uma crise política (o que até poderá acontecer com um "sim") que poderá levar a eleições antecipadas.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub