Mercados 5 coisas que precisa de saber para começar o dia

5 coisas que precisa de saber para começar o dia

Esta terça-feira as bolsas voltam à negociação na Europa e nos Estados Unidos, depois da habitual pausa de 26 de Dezembro. Por cá, os investidores estarão mais atentos à SDC Investimentos, e no resto da Europa serão os bancos que continuarão a concentrar os olhares, com destaque para o italiano Monte dei Paschi.
5 coisas que precisa de saber para começar o dia
Bolsas reabrem na Europa e EUA

As bolsas europeias e norte-americanas reabrem, após uma pausa no dia 26 de Dezembro em celebração da época natalícia. No Velho Continente, os investidores vão estar atentos sobretudo à banca, e em Wall Street espera-se que o volume de negociação continue a ser mais baixo do que o habitual, algo que costuma acontecer nesta época do ano.

O investidor multimilionário Carl Icahn, que na semana passada foi nomeado pelo presidente eleito Donald Trump como conselheiro especial para o ajudar a reformar a regulação federal para as empresas, já veio mostrar-se preocupado com as bolsas norte-americanas "no curto prazo", devido às fortes subidas após a eleição de Trump. Segundo Icahn, em entrevista à CNBC, muitos investidores poderão estar à espera de Janeiro para venderem as suas posições – provocando um movimento baixista nas bolsas –, na expectativa de impostos mais baixos sobre as mais-valias em 2017. 



SDC sobressai depois da OPA

Os investidores nacionais vão estar atentos à evolução da SDC Investimentos, que na passada sexta-feira, 23 de Dezembro, anunciou que iria desfazer-se da área de concessões, constituir uma imparidade para a área de construção e comprar créditos dos bancos. São passos para a Investéder, empresa do CEO e CFO, lançar uma oferta de compra da empresa. Com efeito, António Castro Henriques e Gonçalo Andrade Santos vão lançar, através da Investéder, uma oferta pública de aquisição, no valor de 2,7 cêntimos por acção, sobre a SDC Investimentos, de cuja comissão executiva são os únicos membros.


A SDC Investimentos, recorde-se, detém um terço do capital da Soares da Costa Construção. Neste momento, a estrutura accionista da SDC Investimentos é controlada por Manuel Fino, com 58,85%, e o restante capital está disperso em bolsa. Só haverá sucesso da operação se houver a aceitação por mais de 50% do capital. Assim, se Manuel Fino vender,  OPA tem sucesso. 



Monte dei Paschi sob os holofotes

A banca vai continuar no centro das atenções, com incidência no sector financeiro italiano e muito em especial o banco Monte dei Paschi di Siena. Na passada sexta-feira, bem como noutras sessões da semana, o índice europeu Stoxx 600 viu os seus ganhos travados pela banca. Isto depois de, na véspera, o estado italiano ter sido forçado a um resgate ao Monte dei Paschi e de na própria sexta-feira o Deutsche Bank e o Credit Suisse terem chegado a um princípio de acordo para encerrar as investigações de que são alvo nos EUA, em troca de coimas multimilionárias.

As acções do Monte dei Paschi estiveram suspensas na sexta-feira. Até haver nova informação relevante, vão continuar sem negociar em bolsa.


Confiança dos consumidores em análise nos EUA

Nos Estados Unidos são divulgados os dados da confiança dos consumidores em Dezembro, bem como os índices dos preços das casas em 20 cidades do país no mês de Outubro - um indicador da S&P CoreLogic.

Serão também conhecidos os números do desemprego e da inflação no Japão, referentes a Novembro, bem como os lucros industriais na China, relativos também ao mês passado. Teremos ainda o saldo orçamental primário do Brasil no que diz respeito a Novembro.

 


Inventários norte-americanos de crude em destaque

O Instituto Americano do Petróleo (API, que é uma entidade privada) divulga as suas estimativas para os inventários de crude na semana passada nos Estados Unidos – que serão depois comparadas com os dados oficiais, no dia seguinte, apresentados pela Administração de Informação em Energia (sob a tutela do Departamento norte-americano da Energia). 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub